terça-feira, 5 de setembro de 2006

Pulsar

Vermelho.
O sangue que me corre nas veias.
Que faz pulsar de dor o coração...


Dor de viver...
Dor de morrer...

Dor de renascer...
Ausência de dor...
Presença da cor...


Vermelho.

O sangue que me acorda as veias.

Que faz pulsar de vida o coração...


... Pulsar...

... Pulsar...

... Pulsar...


13 Comments:

Blogger O Sibarita said...

Olá! Sempre ele o vermelho! É Sangue, é dor, é tudo, é nada e no final é stop! Belo poema!

bjs
O Sibarita

9/05/2006  
Blogger Jaime said...

O meu por acaso é azul. (Gosto eu de pensar.) :-)

Jaime
www.blog.jaimegaspar.com

9/05/2006  
Blogger little_blue_sheep said...

:D
adorei o poema!
bjinhos!

9/06/2006  
Blogger Et said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

9/06/2006  
Blogger Et said...

O sangue que me corre nas veias é azul... azul à Pooooooorto! :D

Agora brincadeiras à parte, gostei do poema, da sensação de movimento do sangue que faz a nossa vida girar!

9/06/2006  
Blogger Luiz Carlos Reis said...

Olá minha querida o vermelho para muitos representa o fogo ardente...A paixão.
No teu lindo poema pulsa e tipifica o acaso e a sinopse da vida!
Beijos e obrigado por teus elegantes elogios.

9/06/2006  
Blogger Utzi said...

Obrigada o sibarita :) Beijos

Jaime... não sabia que haviam colorantes para o sague... :P

Fico contente por ter agradado Little blue sheep :) Beijo

Et, ainda bem que transmiti essas sensações :) era o pretendido. Beijinhos

Luiz carlos reis, também eu agradeço os teus elogios sempre carinhosos :) Beijos

9/06/2006  
Blogger anamoris said...

LINDO. Com muito ritmo.
Beijos

9/06/2006  
Anonymous romeng said...

Bonito, Belo, Magnifico!!!

Poucos conseguem transmitir tanto em tão pouco.
O poema está lindo no seu todo! A "renovação" do sangue de dor em vida, plenamente intensa tanto pelas palavras como pela repetição do esquema, transmite uma força imensa! O pulsar, três vezes pulsar, quase que se sente dentro de nós!
Belíssimo poema em que todos os detalhes o tornam perfeito. Seja a foto (sim, é mesmo bela), a apresentação, a aparente simplicidade de leitura, a intensidade "subconsciente".
Melhor de tudo.. a forte sensação final! Bravo!!

Muitos muitos beijinhos e faz um favor a todos que gostam de ler.. escreve um livro de poesia :)

*


PS: tive mesmo que apagar uns tantos "!" porque todas as frases tinham um só para si :) prova inteiramente como o poema nós faz vibrar (nós = todos que tenham o mínimo de sensibilidade, mesmo todos) :p

9/06/2006  
Blogger Utzi said...

Obrigada Anamoris, um beijo para ti :)

Romeng... fiquei sem palavras face aos teus elogios... acho que não mereço tanto. Obrigada. Mil beijos :)

9/07/2006  
Blogger the postman said...

Que mais posso dizer senão que senti estas palavras como se outro "eu" as escrevesse ou como se me fossem oferecidas?

Tão perto está a vida da dor. Vem o alívio, depois uma dor mais forte,... e de repente damos outro significado à vida.

E o pulsar continua. Tão idênticos como diferentes, tão em uníssono como distantes. Como essa vida que nos dói! Com essa dor que nos dá vida!

9/07/2006  
Blogger Utzi said...

Acho que as tuas palavras são muito mais bonitas do que aquelas que escrevi...
Um beijo para ti, The postman.

9/08/2006  
Blogger the postman said...

Não aceito isso como verdade, Utzi.

As minhas palavras são uma variação das que escreveste. Baseadas, inspiradas e reflectindo nelas.

Um beijinho.

9/09/2006  

Enviar um comentário

<< Home