quarta-feira, 15 de novembro de 2006

Espera

Horas, horas sem fim,
pesadas, fundas,
esperarei por ti

até que todas as coisas sejam mudas.


Até que uma pedra irrompa

e floresça.

Até que um pássaro me saia da garganta

e no silêncio desapareça.


Eugénio de Andrade
Imagem "Endless Love" de Alfred Gockel

7 Comments:

Blogger Francis said...

brilhante.

11/15/2006  
Blogger noreinodafantasia said...

Quantos de nós já não esperaram horas a fio por um amor...a poesia é de facto sempre lúcida e abrangente!
bjoca

11/15/2006  
Blogger teorias said...

São horas que já esperamos e que, muitas vezes, continuamos a esperar! O amor também é espera...
Bonito pedaço de poesia desse mestre que tanta saudade nos deixou.

bjs

11/16/2006  
Blogger Esteleve said...

Lindissima a escolha de Eugénio... Um beijo enorme :)

11/16/2006  
Blogger Utzi said...

Francis, ainda bem que partilhas o gosto pela escrita deste grande homem que foi Eugénio de Andrade. Beijos

Noreinodafantasia, obrigada pela visita e pelas palvras simpáticas que deixaste. Volta. Beijinhos

Teorias, tens toda a razão. O amor também é espera... Beijos

Esteleve, mil beijos para ti :)

11/16/2006  
Blogger cm said...

...afagar o silêncio ate que a palavra tenha o ritmo de uma canção de primavera...

7/06/2007  
Blogger Utzi said...

Cm, Eugénio de Andrade é dos meus poetas preferidos... :) Tenho uma enorme admiração pela sua escrita.

Beijo

7/06/2007  

Enviar um comentário

<< Home