quarta-feira, 13 de dezembro de 2006

Despedida


Calou-se.
O silêncio era tudo o que restava naquele momento. Tinha já falado demais. Ele olhava-a, estremecido com as palavras dela, que ecoavam em pensamentos difusos. Era um momento triste. Um derradeiro segundo.
Depois, o vazio dos corpos que se separam sem olhar para trás.
O gosto amargo da despedida, na boca. Dói a fome de um amor que já não alimenta o coração. Permanece a solidão nas almas que deixam de ter par... e o som do fim, nos passos deixados no ar...


Imagem retirada de nimue.blogia.com

11 Comments:

Blogger teorias said...

As despedidas são assim mesmo! As pessoas que partem levam pedaços de nós... doi muito a solidão provocada por tamanhas amputações!
Os momentos das despedidas são momentos incompletos... podia sempre ter sido de outra forma, podia sempre conter mais qualquer coisa... como incompletos ficamos depois de elas acontecerem...
A partir daqui há que regenerar tudo o que se perdeu... se isso se quiser... e sempre dentro do possível...

Beijos

12/13/2006  
Blogger fairybondage said...

E assim a despedida
deixa um amargo na boca
e na vida...
um vazio imenso
onde a alma navega
perdida
por momentos
no momento...
e só nos sabem dizer
que vai passar
com o tempo...


Bjs com pó estelar...

12/13/2006  
Blogger Francis said...

e depois do adeus...

12/13/2006  
Blogger Just an ordinary girl said...

Olá Utzi. Fizeste-me lembrar o "Poema do Adeus" de Eugenio de Andrade. E sinceramente achei o teu texto tão bonito quanto esse poema, que eu gosto desde sempre.

Felizmente nas despedidas nenhuma parte de nós se perde ou morre. Perdemos a vontade de "ser" para uma determinada pessoa, só. Mas continuamos a "Ser", para uma data de outras pessoas. É o que eu tenho aprendido, com as minhas vivências.

Um beijo grande para ti!

12/13/2006  
Blogger Juro said...

e os reencontros?
Escreve sobre eles Utzi....

Bj

12/13/2006  
Blogger Utzi said...

Teorias, não posso estar mais de acordo... Beijinhos

Fairybondage, sempre delicadas as tuas palavras. Obrigada e um beijinho.

Francis, depois de um adeus... muitos olás ainda virão :) Beijos grandes

Fátima, gosto muito de Eugénio de Andrade... és muito generosa por sequer me comparares a esse grande senhor... não mereço tanto :) Mil beijos para ti, querida e obrigada pelo carinho que me dedicas :)

Juro, fica prometido. Beijinhos :)

12/13/2006  
Blogger Ananda said...

Juro que podia ter sido eu a escrever isso, só falta ter esse teu jeitinho com as palavras. :D
Beijinhos, linda!

12/13/2006  
Blogger Lumen Origine said...

Simplesmente porque todos nós necessitamos de um abraço de quando em vez, deixo um abraço do fundo da minha alma para ti.

Se quiseres no blog http://lumenorigine.blogspot.com/ podes visualizar os vídeos Os Abraços são Grátis.

12/13/2006  
Blogger Ponta Solta said...

A despedida é sempre dolorosa, a imagem de afastamento que guardamos fica uma nódoa negra no coração. Ficamos como que partidos a meio, e uma das partes fica perdida...
É a solidão manifesta por sermos ímpares.

Bjs

12/14/2006  
Blogger Luiz Carlos Reis said...

Despedidas ...dilaceram os corações, maculam a alma e deixam saudades... Quisera não houvesse momentos assim...

Fica bem! Abraços para tí!

12/14/2006  
Blogger Utzi said...

Ananda, tenho a certeza que com empenho e inspiração escreves tão bem ou melhor do que eu :) beijinhos

Lumen origine, obrigada pelo abraço... gosto de ofertas feitas com alma e coração. Beijinhos :)

Ponta solta, estou completamente de acordo. Beijos

Luiz, um beijo enorme para ti :)

12/14/2006  

Enviar um comentário

<< Home