quarta-feira, 17 de janeiro de 2007

E por falar em coração...

... E também porque hoje estou com a música à flor da pele, aqui fica a letra de um dos meus fados preferidos... oiçam-no eternizado pela voz da nossa Amália, ou, num registo diferente mas que também muito aprecio, na voz de Cristina Branco...
... Silêncio, que se vai cantar o Fado...


Estranha Forma de Vida

Foi por vontade de Deus
que eu vivo nesta ansiedade.
Que todos os ais são meus,
Que é toda a minha saudade.
Foi por vontade de Deus.

Que estranha forma de vida
tem este meu coração:
vive de forma perdida;
Quem lhe daria o condão?
Que estranha forma de vida.

Coração independente,
coração que não comando:
vive perdido entre a gente,
teimosamente sangrando,
coração independente.

Eu não te acompanho mais:
pára, deixa de bater.
Se não sabes aonde vais,
porque teimas em correr,
eu não te acompanho mais.

Letra e música: Alfredo Duarte (Marceneiro) e Amália Rodrigues

17 Comments:

Anonymous Constança said...

É bonito, sim. Assim como o teu blog.

Voltarei ;)*

1/17/2007  
Blogger Topo de Gama said...

Nao consigo gostas de fado, mas esse da Amalia tem algo de especial... especial como todas as estranhas formas de vida "que vivem perdidas entre a gente.."

Bjins

1/18/2007  
Blogger Dawa said...

um dos meus favoritos também! :D
Boa escolha.

Beijinhos grandes!

1/18/2007  
Blogger PavlovDoorman said...

Apanhado.
Confesso que pela 1ª vez temos uma divergência de opiniões.
Não sou um apreciador de fado, mas se a menina é temos de acatar não é?
Beijinho

1/18/2007  
Blogger Utzi said...

Constança, obrigada pela visita e pelas palavras deixadas :) Um beijo

Topo de Gama, ainda bem que gostas pelo menos deste... afinal sempre tens um pouquinho de alma de fadista :) Beijinhos

Dawa, estamos em sintonia :) Beijinhos

Pavlovdoorman... que pena estarmos em divergência... eu que começava a achar que a nossa sintonia era quase perfeita hehehe :p... pronto, paciência, espero acertar na próxima sugestão musical :)
Beijinhos

1/18/2007  
Blogger PavlovDoorman said...

Realmente é pena, mas saiba a menina que se não gosto desse génro musica é mais por reflexão pessoal que por gosto musical.
Não gosto pois relembra-me o mais profundo sentimento português o sentimento de «comiseração», o sentmento de coitadinhos que não nos permite ir além.
Enfim manias.
Beijinho

1/19/2007  
Blogger Utzi said...

pavlovdoorman, então e se visses o Fado por outro prisma?
Como a voz de um povo que canta o mar, a dor, a alegria, a poesia... que canta o destino na sua mais perfeita beleza...? O fado não é sempre um lamento, há fados alegres, fados tristes, fados cheios de humor, fados transbordantes de amor... O fado é sentimento, é a cantiga da alma...

... Para mim, isto é Fado... e sempre que o oiço (com o coração, porque o fado só assim pode ser realmente ouvido), tenho orgulho em ser portuguesa :)

Beijinhos para ti

1/19/2007  
Blogger O Autor® said...

Muito bom....então cantado pela diva ainda melhor!


Se bem que o meu preferido da Amália, é " O Barco Negro".


Beijo

1/19/2007  
Blogger Utzi said...

O autor :) então sempre conseguiste esvoaçar até à minha nuvem! Fico feliz. "O Barco Negro" é um fado lindíssimo, sem dúvida, também um dos meus preferidos.

Beijinhos para ti :)

1/19/2007  
Blogger O Autor® said...

Pavlovodoorman....

Primeiro concordo com a opinião da Utzi.

A questão é a seguinte: será que ao vermos o fado, uma expressão artística única e verdadeiramente nossa, de uma forma preconceituosa ( como a canção do coitadinho e não a do sentimento), não estamos a cair numa forma de auto flagelação. A tal que não nos deixa andar para a frente?


Isto não é nenhuma forma de provocação negativa, nem ataque ....


É uma provocação positiva. Acho que nos devemos indagar sobre estas questões.

Um abraço

1/19/2007  
Blogger O Autor® said...

Utzi:


:)

1/19/2007  
Blogger Utzi said...

Isto é que é sintonia, O autor!... No tempo e nas ideias... :D

Mil beijos para ti

1/19/2007  
Blogger PavlovDoorman said...

Autor e Menina Utzi não quero ferir susceptibilidades mas é apenas a minha opinião, adensada com a força que o fado teve no tempo do outro senhor 25/4, a senhora que referem foi uma voz do regime, ela fazia parte dos três F's de Salazar, e isso aí menos me ajuda.
Agora outros fados ouço e um deles estagno de emoção ao ouvi-lo:
o Fado académico.
Pelo significado que teve a minha passagem pela faculdade o viver académico, a sua tradição (e com académico não digo borgas e bebedeiras, pois não bebo), sempre que tive a sorte de presenciar um Fado académico e suas palavras pelas cidades que cantam, aí sim aprecio Fado.

Beijinho e Abraço

1/19/2007  
Blogger fairybondage said...

Também adoro fado, mas devo confessar que apesar de gostar muito deste, não é o meu favorito!!!

Um dos meus favoritos tem uma frase assim:

"... São emoções que dão vida à saudade que trago, aquelas que tive contigo e acabei por perder, há dias que marcam a alma e a vida da gente, e aquele em que tu me deixaste não posso esquecer..."

Bjs com pó estelar...

1/20/2007  
Blogger Utzi said...

Pavlovdoorman... bom, acho que o facto do Fado ter sido usado como meio distractivo pelo regime salazarista não faz dele um meio de propaganda fascista... mas aceito a tua opinião.
Beijinhos

Fairybondage, ainda bem que partilhamos o gosto pelo Fado :)
Beijinhos para ti

1/22/2007  
Blogger tonsdeazul said...

Eu adorooooooo esta música.

1/25/2007  
Blogger Utzi said...

Somos dois, Tonsdeazul :) Beijinhos

1/25/2007  

Enviar um comentário

<< Home