terça-feira, 24 de abril de 2007

Madrugada


Esta madrugada,
Na escuridão gelada,
Despertei de um sono profundo...
Procurei em vão
O teu toque de mão,
O teu calor de Verão...
Nada.
Continuas ausente do meu mundo...


Imagem retirada de www.initphotostudio.com

18 Comments:

Blogger Ponta Solta said...

Muito bonito, muitas vezes, sabendo a realidade, é melhor continuar a dormir ;)

Beijinhos

4/24/2007  
Blogger Márcia said...

Tanto vias procurar... que por fim vais encontar...


Simples mas bonito...

Beijinhos

4/24/2007  
Blogger Filipe said...

Entre a noite e a madrugada... ha sempre uma aurora de esperança...

4/24/2007  
Anonymous Constança said...

Pode ser que tudo volte, na próxima madrugada. :)

4/24/2007  
Blogger fairybondage said...

A ausência muitas vezes alimenta a poesia!!! Lindo!

mil beijinhos

4/24/2007  
Anonymous borrowingme said...

bem... isto é que é atenção!!!
essa musica é de facto o titulo deste texto...
adoro cat power
só espero não ter de sofrer tanto como ela para poder chegar ao ponto de equilibrio na minha vida...
mas hoje dei um grande passo!!!!!!

bjs

bom feriado

4/24/2007  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

Excelente musica!

Acredita que u dia não vais querer saber se esta ou nao na tua vida..o dia chegará..

Feliz dia da liberdade.

bjos

4/25/2007  
Blogger Luiz Carlos Reis said...

As ausências da paixão sempre impondo limites e esperas!

Abraço de conforto!

4/26/2007  
Blogger Utzi said...

Ponta solta, já senti isso durante muito tempo... agora não. Agora, acontece-me o contrário... não querer adormecer para não ter que sonhar com aquilo que sei não ser real... Beijinhos :)

Márcia, obrigada e um beijo.

Filipe, é verdade :) Beijo

Constança, pode ser... quem sabe?...
Beijinhos :)

Fairybondage, a ausência é de facto uma grande fonte de inspiração :) Beijinhos

Borrowingme, bem me parecia... ;) eu também adoro Cat Power, daí ter associado o título do teu texto à música dela... Beijinhos

As velas ardem até ao fim... :) talvez... Beijinhos

4/26/2007  
Blogger Utzi said...

Luiz carlos reis, limites e esperas... é isso mesmo...
Beijinhos :)

4/26/2007  
Blogger Dawa said...

E como custa essa ausência...
Lindo o poema, como sempre!
Beijinho grande e continuação de boa semana!

4/26/2007  
Blogger Francis said...

quem espera sempre alcança...

ouvi dizer.

4/26/2007  
Anonymous madrugada said...

É na ausência das coisas que se dá o valor às mesmas.

Por vezes nem é necessário procurar...

Basta esperar,
que as coisas aconteçam.

Bomito, aquilo que escreveste.

Já estou habituado!!!

4/26/2007  
Blogger Utzi said...

Dawa, adorei a tua nova imagem :) Beijinhos

Francis, tem graça, eu ouvi dizer que quem espera desespera... ;) Beijinhos

Madrugada, eu tenho por hábito dar muito valor ao que tenho, nunca precisei de perder para perceber a importância das coisas... mas sei bem que nem toda a gente é assim... já o senti na pele...
Um beijo e vê se continuas a escrever lá no teu espaço, gosto muito de te ler :)

4/26/2007  
Blogger o alquimista said...

E como pode alguem ausentar-se de uma Deusa...?


Doce beijo

4/26/2007  
Blogger Utzi said...

O alquimista... uma simples mortal :)... Mil beijos para ti.

4/27/2007  
Blogger tonsdeazul said...

Revi-me neste poema.
Pareceu-me um dejà vu. Impressionante. Sim continua ausente de mim... no silêncio frio das suas não palavras.

4/27/2007  
Blogger Utzi said...

Tonsdeazul, um dia os silêncios deixam de doer, vais ver...
Beijinhos

4/30/2007  

Enviar um comentário

<< Home