quarta-feira, 23 de maio de 2007

Últimas palavras

Bato à porta, já meio morta, para te falar. Não quero demorar. A voz apressada não me deixa calada por muito mais tempo, é um tormento. Digo tudo de uma vez, enquanto te vejo encolher na tua pequenez. Olhas-me com ar de espanto, os olhos em pranto, não queres acreditar. Eu disse-te um dia que a mentira não tem serventia. Como pudeste pensar que eu não descobriria? Agora é tarde, não quero ouvir-te, muito menos perdoar-te. Não vale a pena cansares-te com explicações, nem eu quero cansar-me a dar-te semões. Já chega de histórias inventadas e desculpas esfarrapadas. Destruíste o meu mundo com um golpe profundo. Olho para ti e só vejo desilusão... Cegaste-me o coração... Recorda bem o meu rosto, guarda na memória as minhas lágrimas de desgosto. Grava as minhas palavras, são as últimas, são sagradas. São o derradeiro beijo que te dou. E aprecia bem o meu passo enquanto me vou.

21 Comments:

Blogger Putty Cat said...

Utzi

Já escrevi algo do género.
Revi-me nas tuas palavras!

E adorei!


Beijo

5/23/2007  
Blogger A said...

As mentiras destroem sempre o mundo de quem as ouve. Sempre! Mas o pior mundo depois da mentira é para o mentiroso, sempre! Quem fica, chora as magoas, enterra o desgosto com o tempo e sobrevive. O peso de consciencia do mentiroso não pode ser lavado com lagrimas ou enterrado, ficará com ele, morrerá com ele.

5/23/2007  
Anonymous Gui said...

Nomear todas as personagens que somos (mesmo aquelas que surgem nos breves ou longos instantes da escrita) parece-me um trabalho demasiado exaustivo, para o qual a imaginação será sempre pouca.

5/23/2007  
Blogger Dawa said...

Tanta mágoa, tanta ferida e tanta beleza.
Beijinhos querida!

5/23/2007  
Blogger tonsdeazul said...

Este comentário foi removido pelo autor.

5/23/2007  
Blogger tonsdeazul said...

Vais, mas voltas. Certo?
Um beijinho. :)

5/23/2007  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

Há alguns anos uma parte de mim foi destruida assim.Parece que estas a descrever o que senti.

bjo

5/23/2007  
Blogger Rogermad said...

Parece-me familiar a tua forma de sentir...

ora...
PIROCA

Piroca como word verification???
Atenção a isso...
melhor tirares isto daqui...

5/23/2007  
Blogger Juro said...

Continuas fantástica!
;)

5/23/2007  
Blogger Diva said...

Admiro a força, a coragem, a frieza que descreves, admiro a FORMA como descreves!

Muito bonito.

Isso é que e viver, isso é que é amar… a vida!

beijo

5/23/2007  
Blogger Brain said...

Utzi,

A tua escrita é simultâneamente:
- Simples;
- Crua;
- Bonita.

Gosto muito de te ler.

Beijo.

5/24/2007  
Blogger Francis said...

ena pá...

sem medos.

gosto da foto. ;)

5/24/2007  
Blogger borrowing me said...

bem dito!
há tempos tentei dizer a mesma coisa, mas não valeu a pena
ficou por dizer, e já aprendi a viver assim
é para melhor...

bjs

5/24/2007  
Blogger Utzi said...

Putty cat, é boa essa sensação de alguém se rever nas nossas palavras... muito bom mesmo. Obrigada. Beijinhos :)

A., tens muita razão... Um beijo

Gui, concordo plenamente. Gostei desse comentário. Vê se apareces mais vezes ;) beijinhos

Dawa... tanto, tanto para dizer, que me faltam sempre palavras... Muitos beijinhos, linda :)

Tonsdeazul, longe de vocês não fico, podes ter a certeza. Beijinhos :)

As velas ardem ate ao fim... sabes, dizem que só quem amou verdadeiramente consegue escrever sobre a dor da perda... há sempre um lado positivo em tudo... Um beijo grande :)

Rogermad... :s não me digas que apareceu essa palavra?... Isto é uma conspiração hehehe :) Beijo

Juro, obrigada. Ainda bem que estás de volta ;) Beijinhos

Diva, dizes muito bem... amar a vida. Isso é o mais importante. Beijinhos :)

Brain, fico muito feliz por gostares... afinal as palavras só ganham verdadeiro valor quando lidas e sentidas por quem as lê. Beijinhos :)

Francis, sem medos... achas?... Eu não conheço a vida sem medos, só sei o que é enfrentá-los. Beijo

Borrowing me, por vezes é melhor manter o silêncio. Ele pode ser tão ou mais doloroso para quem o ouve do que muitas palavras... acredita. Mil beijos

5/24/2007  
Blogger Sócomigo... said...

Sou leitor assiduo , nunca comentei, decidi faze-lo hoje ...
O que escreves é brutal ...Consegues por em palavras aquilo que apenas consigo sentir ... Corpos , vida , situaçoes , emoçoes ....
Em cada Post , em cada tema , á qualquer coisa em comum ...É fantastico ...Parece que conheces a nossa vida ...

Obrigado ...

5/24/2007  
Anonymous Constança said...

Ela "morreu", mas soube "morrer"!

Gostei da segurança e da confiança da personagem. *

5/24/2007  
Blogger Lenin aka JR said...

Intenso. Profundo. Perturbador.
São os adjectivos que encontro para classificar este texto, pedaço de memória.
Penso que nunca conseguiria ir tão longe. Exprimir tão friamente os meus sentimentos. Talvez porque nunca vivi nenhuma situação semelhante. E para poder descrever é preciso antes viver.

Arrepiante, também, lembrei-me agora ;)

É por isso que estamos sempre a aprender. Adorei.
Beijos

5/24/2007  
Blogger Utzi said...

Sócomigo, ainda bem que decidiste comentar :) Obrigada por leres aquilo que escrevo, fico feliz. Espero que continues a deixar as tuas palavras por aqui... Beijos

Constança, podemos perder tudo... menos a classe ;) Beijos

Lenin aka jr, intensos, profundos e perturbadores foram também os sentimentos que inspiraram este texto... obrigada pelas palavras. Beijos :)

5/24/2007  
Anonymous Constança said...

Exactamente! Concordo. ;)

5/24/2007  
Blogger O Autor® said...

Este é, sem dúvida, um dos teus textos que gostei mais!
Um formato diferente do habitual, mas que confere ao texto uma sensação de ritmo muito boa!

Consegue demonstrar a ansiedade do momento para além de conseguir também provocar ansiedade no próprio leitor...


Gostei muito... Parabéns sinceros! :)

5/27/2007  
Blogger Utzi said...

O autor, obrigada :) De facto é um formato diferente, mas eu gosto de jogar com as palavras e surpreender-me a mim mesma com elas... nesse sentido, também fiquei muito satisfeita com este texto :) Beijinhos

5/28/2007  

Enviar um comentário

<< Home