quinta-feira, 31 de maio de 2007

Não sei

Não sei dos teus silêncios
Nem do som dos desencontros,

Não sei dos teus caminhos
Nem dos teus esconderijos,
Não entendo as tuas vozes,

Não percebo os burburinhos,

Não sei ler a distância

Nem consigo ter-te aqui,

Não sei dos teus olhares,

Nem sei conter a ânsia

Por tudo o que não senti...


Não sei o que não sei,
De tão grande o não saber,
Só sei dos meus segredos

Guardados entre medos

De nada saber de ti.

Imagem retirada de http://olhares.aeiou.pt

17 Comments:

Blogger .:mÁrCiO:. said...

Como dizia o poeta... só sei que nada sei!
Excelente poema...

5/31/2007  
Blogger Putty Cat said...

Utzi, já nem tenho adjectivos para classificar os teus escritos...

Olha, FABULOSO!!!!

Beijoooooooooo

6/01/2007  
Blogger Utzi said...

Márcio, é tanto o que não sabemos... olha eu nem sei por onde começar hehehe :) Beijinhos

Putty cat, obrigada... mesmo :) Beijinhos

6/01/2007  
Blogger Maria João said...

Eu sei... sabes, como ninguém, escrever sentimentos com palavras! :)

Beijinhos, doce nuvem

6/01/2007  
Blogger Mr.Blonde said...

Cada vez que ca venho é um deleite para os meus olhos. Cada palavra parece uma flor pintada num quadro teu. Nunca vou conseguir desvendar a pintura toda. Mas do que vejo.... etá lindo! Parabéns!

BJS

6/01/2007  
Blogger o alquimista said...

Todos nós sabemos que se calhar não sabemos tanto assim...!

Doce beijo

6/02/2007  
Blogger Tiago said...

Lindas palavras. Gostei do blog, belos escritos, imagens...
Aparecerei + por aqui.

Beijos e bom fim-de-semana.

6/02/2007  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

Não sei o que deizer já da maneira que escreves...Linda!

bjos e bfs

6/02/2007  
Blogger NeLiNhA said...

poema fantástico!
:)

6/02/2007  
Blogger Brain said...

Utzi,

Mais um... Fantástico!

Beijo.

6/02/2007  
Blogger Pedro Branco said...

Acordou naquela manhã sobressaltado. A luz entrava na janela do quarto como normalmente e o calor do Verão já se fazia sentir. Os silêncios tudo tranquilizavam. Menos o seu despertar. Tinha passado a noite à procura...

6/03/2007  
Blogger Bonnie said...

Não sei o que não sei,
De tão grande o não saber,
Só sei dos meus segredos
Guardados entre medos
De nada saber de ti.

Não sei o que doi mais, não saber nada de quem amamos ou ver quem amamos e saber.

6/03/2007  
Anonymous Constança said...

Não sei onde foste buscar esse talento! :O

*

6/03/2007  
Blogger tonsdeazul said...

E é melhor assim!?
Não sei...

6/04/2007  
Blogger Barão da Tróia II said...

Gosto mesmo do que escreves, parabéns e boa semana.

6/04/2007  
Blogger Dawa said...

Excelente, como sempre!
Beijinho grande e boa semana!

6/04/2007  
Blogger Utzi said...

Maria joão... :) Eu nem sei o que dizer... obrigada e mil beijos.

Mr.blonde, que bonita descrição do que eu escrevo. Obrigada :) Beijos

O alquimista, achas? Eu acho que há quem pense que sabe tudo... e cá entre nós, são esses os que menos sabem... :) Beijo

Tiago, obrigada pela visita e pelas palavras deixadas. Volta mesmo. Beijo :)

As velas ardem ate ao fim... vindo de ti, que escreves tão bem, é um enorme elogio. Obrigada e mil beijinhos :)

Nelinha, obrigada :) Beijinhos

Brain, muito obrigada pelo elogio :) Beijinhos

Pedro branco, o nosso tempo interior nem sempre anda a par com o tempo do mundo... :) Beijos

Bonnie, eu também não sei... Beijo

Constança :) És uma querida! Beijinhos

Tons de azul... nem eu, não me perguntes... Beijinhos ;)

Barão da tróia ii, o sentimento é recíproco :) Beijinhos

Dawa, obrigada! Beijinhos :)

6/04/2007  

Enviar um comentário

<< Home