terça-feira, 29 de maio de 2007

Queria saber


Queria saber quanto tempo se gastou,
Quantos dias se adormeceram em mim,

Quantas dores se arrebataram no teu peito,
Quantos choros teus eu não ouvi...


Queria saber quanto tempo se gastou,

Quantas flores brotaram desde que parti,
Quantos ventos mudaram o seu rumo desde que me perdi de ti...

20 Comments:

Blogger carteiro said...

Decerto que as flores que brotavam na companhia de uma nuvem como tu, eram sempre mais brilhantes e perfumadas que aquelas que nasceram desde que partiste.

5/29/2007  
Blogger Pedro Branco said...

Perto. Demasiado perto o tempo se gastou sem que eu morresse...
Perto. Muito perto mesmo tudo aconteceu sem que se perdesse...
Perto. Horrivelmente perto cada um de nós se destrói na passagem do tempo vagabundo.
Perto. Perigosamente perto se choram trémulas todas as dores do mundo.
Perto. Ternuramente perto te encontro no doce olhar de quem espera.
Perto. Inquietamente perto os risos se perdem no ventre da mãe que desespera.
Perto. O tempo esquece a sua medida...

5/29/2007  
Blogger Brain said...

Utzi:

Não queiras!
Não queiras saber nada disso!

Não procures o que perdeste,
Mas sim o que ganhaste,
O que nasceu de novo,
Tudo o que de novo se gerou e cresceu.

O importante,
É procurarmos sempre pelo que é positivo.
O negativo...
Esse vem sempre ter connosco sem que o procuremos!

Escrito fantástico,
Como já me fui habituando a ler de ti!

Beijo.

5/29/2007  
Anonymous Constança said...

Sempre que seguimos em frente, levamos connosco o medo de não viver o que fica para trás... É uma das piores incertezas existenciais. :|

beijinho*

5/29/2007  
Blogger Lenin aka JR said...

O tempo não se gastou. Apenas passou.
Certamente serviu para fortalecer sentimentos, descobrir novos significados.

Beijos

5/29/2007  
Blogger Utzi said...

Carteiro, és um querido :)
Beijinhos, amigo.

Pedro Branco, mais um belíssimo poema... :) Beijo

Brain, eu quero sempre saber tudo... é mais forte do que eu :) Beijinhos

Constança, bem verdade... todas as grandes decisões vêm acompanhadas dessa incerteza. E o pior é que nunca saberemos como poderia ter sido... Beijinhos :)

Lenin aka jr, por uma vez não concordo. O tempo gasta-se sim. Se ele se limitasse a passar, poderia voltar, como tudo o que passa... mas ele não volta mais... gasta-se para sempre.
Mas sim, o seu desgaste ajuda-nos a construír novos significados. Beijo

5/29/2007  
Blogger Utzi said...

Perdão, construir sem acento.

5/29/2007  
Blogger A said...

O que fica para tras não é o mais importante; é passado e não pode ser reconstruido, o importante é o hoje é o amanha, é o daqui para a frente. E de certeza que vais contruir momentos bens mais especiais do que aqueles que perdes-te, simplesmente porque esrás lá para os viver.
Beijinhos

5/29/2007  
Blogger Utzi said...

A., só queria deixar claro que aquilo que escrevo não passa de poesia, mais ou menos triste (eu sei que na maior parte das vezes escrevo coisas tristes...). Não é literal, não diz propriamente respeito à minha vida pessoal e não é de todo um diário. Eu estou muitíssimo bem ;)
Obrigada pelo carinho. Beijinhos

5/30/2007  
Blogger Francis said...

pergunta-lhe...

5/30/2007  
Blogger Utzi said...

Francis, se eu lhe perguntasse já não podia escrever o poema... Beijo

5/30/2007  
Blogger .:mÁrCiO:. said...

Bem... só queria dizer que estou de volta, e que a partir de hoje, voltarás a ter mais um leitor dos teus poemas indefinidos e intemporais...
Mas sempre belos, e que dão que pensar... gosto disso! E disto...

5/30/2007  
Blogger Sandro said...

Talvez o tempo não tenha mudado afinal a direcção para que soprava, e ainda te consiga levar a ele... E quem sabe as perguntas virem beijo, o beijo conhecimento... e o silêncio seja, como sempre, de ouro!

5/30/2007  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

Tu escreves tão bem.

Lindo.

bjos

5/30/2007  
Blogger Bonnie said...

As perguntas que todos fazemos, desenhadas num poema perfeito, ditas num profundo sentir.

Beijinho

5/30/2007  
Blogger Utzi said...

Márcio, que bom ter-te de volta :) Beijinhos

Sandro, com as palavras... tudo pode acontecer :) Beijinhos

As velas ardem até ao fim, olha quem fala... :) Obrigada e mil beijos

Bonnie, muito obrigada pelas tuas palavras :) Beijinhos

5/31/2007  
Blogger tonsdeazul said...

Não queiras saber.
Irias ver que muitos, mas muitos dias passaram por ti, sem que tu desses conta...

6/04/2007  
Blogger Utzi said...

Tons de azul... nós podemos fazer de conta que não damos conta... mas na verdade contamos os segundos ;) *

6/04/2007  
Blogger Maria João said...

Às vezes também queria tanto saber... :)

6/06/2007  
Blogger Utzi said...

Maria joão, por vezes só nos resta questionar, porque sabemos que nunca vamos ter as respostas que procuramos... até ao dia em que nos esquecemos das perguntas que outrora nos inquietavam... Beijinhos :)

6/06/2007  

Enviar um comentário

<< Home