terça-feira, 5 de junho de 2007

Forma de ser


É frio,
É água,
É um resto de mágoa,
Que escorre na face
Como se dançasse.
É choro,
É grito,
É rouxinol aflito,
Com as asas presas
Nas chamas acesas.
É fado,
É amargo,
É promessa que trago,
Abraçada no peito
Num abraço perfeito.
É hora,
É dia,
É a noite vazia,
Que se cala e me olha
E se senta ao meu lado
E me faz companhia...

Foto retirada de http://olhares.aeiou.pt/

18 Comments:

Blogger cacharel said...

Aiiiiii linda... que jeitinho de estar tão cheio de desânimo e tristeza. E eu entristeci...

Não deixa de ser belo e tocante este poema.

Beijinhos perfumados****

6/05/2007  
Blogger PavlovDoorman said...

E que bom é ter a noite como companheira. Nunca desdenhe de tal parceira Menina Utzi, a noite e sua fiel amiga a Lua são amigos que não nos traem nos ouvem perfeitamente.

Beijinho Menina Utzi

6/05/2007  
Blogger Putty Cat said...

Utzi, utzi, utzi....

Mais outro poema excelente.

A noite, a Lua, fazem parte de mim, e deles tenho tanta necessidade, como o ar que me entra nos pulmões.

Lindo Utzi, como sempre.

Beijo

6/05/2007  
Blogger Avusa said...

pujança na alma

6/05/2007  
Blogger Lenin aka JR said...

É ser
é estar
viver
compreender.
É sentir
e perceber.

Gostei muito... como sempre. ;)

Beijos.

6/05/2007  
Blogger Lenin aka JR said...

Este comentário foi removido pelo autor.

6/05/2007  
Blogger Pedro Branco said...

Na minha frente. Ali. De sorriso em punho.
Por momentos desejei mergulhar-me. Em demasia.
Fico-me pelas palavras à solta. Em rascunho.
Para talvez derramar-te no meu olhar que não se desvia.

Na minha frente. Hoje. Quem sabe amanhã talvez.
Límpida. De água fresca de rio transparente.
Fico-me pelas palavras em corrente. Outra vez.
Que de ti só ganho. Mesmo quando só te tenho à minha frente!

6/05/2007  
Blogger NeLiNhA said...

hmm, sabe tão bem dar uma espreitadela ... estes versos são simplesmente sublimes :) parabéns!

6/05/2007  
Blogger carteiro said...

Oh... mas como é que a noite está vazia quando tem uma nuvem assim ao lado? :)

Agora mais a sério... que belas palavras! E este carteiro nem sequer pode ousar contrariar-te porque se revê em todos os versos. É bom ter a noite como companhia, principalmente quando é a única que resta..

6/06/2007  
Anonymous madrugada said...

A noite é a nossa melhor companheira.

Gostei muito do poema.

O dom mora aqui.

6/06/2007  
Blogger Maria João said...

E somos mesmo assim! As tuas palavras são tão harmoniosas, tão deliciosamente bem escolhidas... fundem-se de uma forma natural para formar os teus lindos poemas!...

Mais uma vez, adorei! :) Não sei se já tu disse, mas gosto mt de poesia... tenho sempre um livro na mesa de cabeceira... já li imensos autores... e poucos me transmitiram tanto!

Beijinhos, Doce poetisa

6/06/2007  
Blogger Utzi said...

Cacharel, como eu costumo dizer... foi pr´ó que me deu! :) Beijinhos

Pavlovdoorman, longe de mim desdenhar da noite! É uma fantástica companheira, ouve tudo caladinha e nunca nos contraria hehehe :) beijos

Putty cat, também eu... mas não sou assim só com a noite e a lua, também o sou com o dia e o sol, com o mar, com as flores... eu sou apaixonada pela vida :) Beijinhos

Avusa... :) Beijos

Lenin aka jr, é o que nos vai na alma... :) Beijos

Pedro branco... cada vez gosto mais do que tu escreves... Beijo

Nelinha, espreita à vontade! :) Obrigada e mil beijos

Carteiro, ora... nem mais... :) Beijinhos, querido amigo.

Madrugada, és muito gentil. Obrigada. Beijos

Maria joão... tu deixas-me sem palavras... e olha que não é tarefa fácil! hehehe :) Obrigada pelo carinho, mesmo.
Beijinhos, querida bailarina

6/06/2007  
Blogger Brain said...

Utzi,

Este teu poema: D-E-L-I-C-I-O-S-O!

Beijo.

6/06/2007  
Blogger Utzi said...

Brain, obrigada :) Mil beijos

6/07/2007  
Anonymous Constança said...

Este poema está "atafulhado" de vida: mágoas, promessas, abraços e dias... :)

6/13/2007  
Blogger Utzi said...

Constança, sem dúvida que está...
Beijinhos :)

6/13/2007  
Blogger moimeme said...

poema muito bom... :)
è a primeira vez que cá venho mas vou, concerteza, voltar!

Quando li este poema lembrei-me de:

É pau
É pedra
É o fim do caminho...

A métrica cabe perfeitamente... experimenta fazer esse exercicio.

beijinhos

6/16/2007  
Blogger Utzi said...

Moimeme, de facto tens razão, a métrica é idêntica :) E esse poema, bem como a música, são lindos...

Obrigada por esta primeira visita.

Beijinhos :)

6/18/2007  

Enviar um comentário

<< Home