sexta-feira, 22 de junho de 2007

Nua


É nesse grito que me fecho em silêncio.
É nesse silêncio que me faço grito.

É nessa luz que me torno sombra.
É nessa sombra que me acendo em luz.

É nesse dia que me visto de noite.
É nessa noite que me desnudo em dia.

É nesse branco que me pinto escura.
É nessa escuridão que me revelo em branco.

É nesse mistério que me mostro nua.
É nessa nudez que me cubro de mistério.

É nesse segredo que me sirvo crua.


Foto retirada de http://olhares.aeiou.pt

24 Comments:

Blogger Putty Cat said...

Nua e Crua, com pitada de noite!

Bem como eu gosto!!

Fantástico Utzi!!

Beijinhos

6/22/2007  
Anonymous ticha said...

Simples e tão poderoso! Consegues sempre ver o mais profundo das mais simples coisas da vida. E descreve-las como ninguém.. Tantas vezes estamos nus.. e esquecemos como esse simples momento pode ter tanta beleza e significado. A nudez é sempre um momento de revelação, de exposição e ao mesmo tempo de mistério.

Continua a enfeitiçar-nos com a magia dos teus poemas. fizeste-me fã deste blog e não há dia nenhum que eu não queira ver a beleza com que consegues escrever..

beijo de amizade eterna

6/22/2007  
Blogger Utzi said...

Putty cat, ultimamente ando com este espírito endoidecido! Beijinhos :)

Ticha, tu deixas-me emocionada com tanto carinho que me dedicas :) Muito obrigada, minha querida. Eu não conseguiria escrever coisas bonitas se não estivesse rodeada por pessoas como tu na minha vida :)
Mil beijos cheios de amizade

6/22/2007  
Blogger Avusa said...

tão lindo…

sabes, o teu blog cativa-me pela sua poesia, liberdade, sensualidade. Continua!

Adoro!!!

6/22/2007  
Blogger Utzi said...

Avusa, obrigada :) Prometo tentar manter-me à altura desse elogio.

Beijinhos

6/22/2007  
Blogger wolfhunter said...

Olá Utzi,

Vim até aqui, trazido pela Cris da Terra...

Gostei muito do que li..., a tua escrita reflete Beleza e Sensibilidade...

Voltarei para te ler e reler

Bjs

W.

6/22/2007  
Blogger cm said...

subir pela espiral das palavras soltas entre o grito e o silêncio até vislumbrar o segredo...

6/22/2007  
Blogger Maria João said...

Há pessoas que fazem nascer de um pedaço de barro uma jarra, outras que de uma folha de papel fazem um quadro... outras, com algumas palavras soltas, fazem um poema! São dons que nascem conosco... e há quem os cultive e os veja crescer de uma forma tão bonita! E tu és uma delas ;) Já sabes que te admiro muito. Beijinhos, e bom fim de semana, doce poetisa!

6/22/2007  
Blogger Utzi said...

Wolfhunter, se viste trazido pela mão da Cris, vieste muito bem acompanhado :) Obrigada pela visita e pelas palavras deixadas. Espero que voltes mesmo. Beijo

Cm, tantas são as espirais onde nos perdemos para nos encontrarmos...
Um beijo :)

Maria joão, já és a segunda a emocionar-me hoje... Vocês querem mesmo que eu chore! :)
Obrigada, terna bailarina, pelo teu carinho e pela belíssima pessoa que és. Beijinhos

6/22/2007  
Blogger Maria said...

Acabei de te conhecer.
Tenho que te dar os parabéns pelo magnífico blog, pelas poesias tão intensas, como esta...

Vou voltar...
Bom fim-de-semana

6/22/2007  
Blogger F F Moniz said...

Que belo jogo de contrastes! Mais do que poesia, existir nos obriga a viver num equilíbrio entre opostos. Nem sempre é fácil. Às vezes até faz bem pendermos para um dos lados... mas... enfim...

6/22/2007  
Blogger Utzi said...

Maria, muito obrigada :) Ainda bem que gostaste das minhas palavras. Volta sempre que te apetecer. Beijos

Ff moniz, concordo plenamente.
Beijos :)

6/22/2007  
Blogger Cris said...

Utzi, só posso dizer que gosto, que sinto as palavras, muito bonito! mesmo...

Bom Fim de Semana!

Beijinhos
Cris

6/22/2007  
Blogger NeLiNhA said...

estamos contraditórias.... gostei!

6/23/2007  
Blogger fairybondage said...

Nua a tua poesia
revela sem mostrar
a roupa que cai aos pés
da tua alma
para escrever assim
para sentir
assim...


Lindo!!!!
mil beijinhos

6/23/2007  
Blogger Pedro Branco said...

Perco-me nas plavras à solta nos mundos inventados de todos os dias nos querermos inventados de todas as noites nos pedirmos perdoados de todas as manhãs nunca mais acordados de todos os gritos mais que calados de todos os aromas de fel perfumados de todos os silêncios na chuva abençoados de todos os olhares serem cegos e pesados... Por entre mim e mim, na eterna e inquieta rota de existir no fundo e secreto desejo de novo partir na ternura e longínqua sombra de em tudo porvir. Sou seu. Assim. Como se ao mesmo tempo não existisse...

6/23/2007  
Anonymous madrugada said...

Tens a capacidade de me deixar sem palavras!

Muito bem estruturado;
brilhante.

;)

6/23/2007  
Anonymous R. said...

"E todas as noites,
enquanto abraço a tua ausência,
dou corda ao coração para a ouvir tocar..."

Ainda é o melhor poema que, até hoje, a menina escreveu. E, por sinal, não rima.


Yours truly, R.

6/25/2007  
Blogger vermelhinha said...

E da nossa nudez largamos a vergonha e somos só nós. Intimamente loucos, eu acho.
Beijos

6/25/2007  
Blogger Utzi said...

Cris, obrigada :) Beijinhos

Nelinha, estamos sempre um pouco contraditórias... :) Beijos

Fairybondage, mil beijinhos também para ti :)

Pedro Branco... sem palavras. Beijo

Madrugada, és muito gentil :) Obrigada e mil beijos

R.... Que desespero o meu quando leio as tuas palavras... Talvez o dom me tenha abandonado... Beijo

Vermelhinha, eu também acho :) Beijos

6/25/2007  
Blogger MH said...

Uma Mulher!
És 8 e 80... Perfeito!

6/27/2007  
Blogger Utzi said...

Mh, será perfeito? Ou será o meu maior defeito...? Beijo

6/28/2007  
Blogger An Jo said...

Sou o grito que não ouves.
Sou a tua sombra nos dias sem sol.
Sou dia nas tuas noites.
Sou cor nas paredes que vês brancas.
Estou nu mas não me despes.

7/01/2007  
Blogger Utzi said...

Anjo, escrevi qualquer coisa que está em sintonia com o que escreveste a 3 de Maio :) Chama-se "Eu"...

Beijos

7/02/2007  

Enviar um comentário

<< Home