sexta-feira, 8 de junho de 2007

O Poeta

O poeta é alma inquieta no movimento de uma caneta que dança com o papel...

14 Comments:

Blogger .:mÁrCiO:. said...

Simples, eficaz, definição absolutamente brilhante...

6/08/2007  
Blogger Diva said...

Caso para dizer que tu és excelente coreógrafa!

hehe

beijo

6/08/2007  
Anonymous xana said...

:) sorrisos!:)

6/09/2007  
Blogger As cores da vida said...

=)*

6/10/2007  
Blogger Jaime said...

Será que os adolescente escrevem poesia porque é uma época da vida em que a alma está particularmente inquieta? (I did.)

Jaime
www.blog.jaimegaspar.com

6/10/2007  
Blogger Utzi said...

Márcio, obrigada :) Beijo

Diva, hehehe :) Beijinhos

Xana, sorrisos também para ti :) Beijos

As cores da vida, um beijinho :)

Jaime, de facto a fase da adolescência é uma fase de transição importante, na qual ocorrem mudanças variadas. Lidar com estas mudanças em si próprio e na forma como se relaciona com o mundo que o envolve, cria muitas vezes no adolescente sentimentos contraditórios que o angustiam. A escrita, sendo ela um poderoso instrumento terapêutico, permite canalizar emoções, expor sentimentos, organizando, de certo modo, a confusão que o indivíduo sente. A poesia e a prosa, como expoente máximo da escrita baseada no sentimento, são por isso meios muito utilizados nesta fase da vida. Beijinhos :)

6/11/2007  
Blogger Barão da Tróia II said...

Assim como tu...boa semana

6/11/2007  
Blogger Utzi said...

Barão da tróia ii, eu não diria tanto... um beijo e boa semana :)

6/11/2007  
Blogger Maria João said...

E assim és tu, doce poetisa! :)

6/11/2007  
Blogger Utzi said...

:) Um beijinho, minha querida. Obrigada.

6/11/2007  
Anonymous Constança said...

Quem mais do que uma poeta poderia dar-nos a sua definição? :)

6/13/2007  
Blogger Utzi said...

Constança, espero estar à altura dessa grandiosa palavra :) Beijo

6/13/2007  
Blogger Nuno Carvalho said...

Quando o poema acorda... aconchega os pés em chinelos costurados de papel... levanta-se de soneto e melodia... veste-se de defunto e alegria...

olha-se no espelho púrpuro da sua minúscula casa de banho... nesse apartamento feito de reticências e pontos sem parente...

Mas sempre que nele as letras são o que as palavras encomendam...

descobre-se poeta... homem e mulher... sentimento e fuga... arrancandor de camadas de alma e carne e até nevoeiro... até ser de ser absolutamente magro...

nuvem e manto...

6/16/2007  
Blogger Utzi said...

Nuno carvalho, magníficas palavras :) Obrigada pela visita. Beijo

6/16/2007  

Enviar um comentário

<< Home