quinta-feira, 19 de julho de 2007

Um pouco de nada teu


Queria apenas ser um pouco de nada teu.
Um nada que fosse
Amargo ou doce,
Mas apenas meu.
Um pouco do teu tempo,
Um fugaz momento,
Um olhar que lanças no nada,
Um leve suspiro na madrugada,
Um pouco de um breve sorriso,
Um deslize do teu juízo,
Uma palavra qualquer,
Diga ela o que disser,
Ou mesmo que não diga nada,
Que seja silenciada,
Um instante da tua atenção,
Um sim ou um não,
Um toque dos teus lábios
Num beijo que não beija,
Por pouco que seja
Tão pouco que nem se veja,
Queria ser esse nada,
Só para ser um pouco de um nada teu,
E poder nesse pouco ou nada
Dar-te todo o amor que é meu.


Imagem retirada de http://olhares.aeiou.pt

25 Comments:

Blogger Putty Cat said...

"Sabes o que tudo isto significa?


Significa um todo,

Que é tudo,

Mesmo não sendo nada,

Mesmo não tendo nada.


E assim,

Faço do nada que de ti tenho

O tudo,

Que em mim Tu és."

Utzi, e com este excerto do meu último post, encerro as hostilidades, e nada mais digo, a não ser:

BEIJO GRANDE!

7/19/2007  
Blogger Putty Cat said...

Sintonia pura, minha querida!

Não é normal? E hoje em dia o que defines como "normal"?

:)

Beijo felino

7/19/2007  
Blogger Utzi said...

Pois, só pode ser sintonia pura...

De facto hoje em dia o conceito de "normalidade" está a sofrer uma grande instabilidade... Mas prefiro não aprofundar esta questão, porque uma psicóloga a falar de normalidade dá pano para mangas... :)

Beijinhos, linda.

7/19/2007  
Anonymous Gui said...

Adorei:)
Beijinhos Utzi

7/19/2007  
Blogger Fallen Angel said...

Para já não comento... apenas digo que voltarei deixar mais gotas de chuva...

( Sem palavras..)

7/19/2007  
Blogger cm said...

nada,todo,juizo...há uma neblina nas tuas palavras hoje...termos abrangentes escondendo outros que ficam no silêncio...dar é um acto nobre mas tem dois sentidos, implica um receptor...em contraste com o post anterior na quantidade...um leve suspiro, gostei...

7/19/2007  
Blogger Brain said...

E com este,
Simplesmente,
Arrasaste!

Beijo!

7/19/2007  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

Um nada tudo.
Um nada teu.
Um tudo de entrega.

Muito bonito.

bjinhos

7/19/2007  
Blogger Constança said...

Escreves canções... Já te tinha dito? :O

beijinho*

7/19/2007  
Blogger Calimera said...

Um pouco detudo e um pouco de nada.
Beijos

7/19/2007  
Blogger Utzi said...

Gui, ainda bem :) Beijinhos

Fallen angel, obrigada pela visita e pelas gotas de chuva deixadas... :) Fico à espera de mais. Beijo

Cm, as palavras, como as vivências, são feitas de contastes, de sentimentos paradoxais, de contradições, de peças diferentes mas complementares... :) Beijo

Brain, obrigada :) Beijo grande

As velas ardem ate ao fim, às vezes, mesmo entregando tudo, não recebemos nada... Beijinhos

Constança, sabes que ia adorar fazer destes textos canções?... Essa tua ideia encanta-me :) Beijinhos

Calimera... :) Beijinhos

7/20/2007  
Blogger Constança said...

Só falta a melodia. :)

7/20/2007  
Blogger Dawa said...

:D
Beijinho e bom fdsemana, linda! :D

7/20/2007  
Blogger anamoris said...

Belo POEMA, muito sentido.
Bom fim de semana
Beijos

7/20/2007  
Anonymous madrugada said...

Amargurado
inexistente
sorriso

deslize
.
toque
.
previsão

dedos
num toque
preciso,

tacteando
as
palavras
os
instantes
permanentes

de dar
um sorriso
pelo toque

que toca
sem mãos

7/20/2007  
Blogger Grey Moon Wolf said...

O pouco que queremos, ou desejamos, ou quase nada, basta um olhar, por vezes, é nos obrigado a mendigar, a desesperar apenas...

Só para ser um pouco de um nada teu,
E poder nesse pouco ou nada
Dar-te todo o amor que é meu.

7/20/2007  
Blogger vermelhinha said...

Precisamos todos de um pouco de nada para não nos sentirmos sós.

Que nos digam qualquer coisa, mesmo que não tenha nada.

Beijos.

7/21/2007  
Anonymous R. said...

"Um deslize do teu juízo"

7/21/2007  
Blogger .:mÁrCiO:. said...

Olá!

Ainda bem que destes notícias, já te tinha perdido… devido às modificações que andaram a fazer lá no blog. Já estava com saudades de ler os teus textos, mas como não sabia de cor o teu blog, foi-se!

Em relação ao poema lembrei-me de uma frase batida: tudo o que é teu é meu, tudo o que é meu é nosso!

Parabéns renovados… :)

7/21/2007  
Blogger Milla Loureiro said...

belo nada...és tudo quando o amor vem!

7/22/2007  
Blogger carteiro said...

Entre o pouco e o nada os instantes são fugazes mas são também o suficiente para o (nosso) mundo poder girar por completo.
Palavras bonitas... como sempre.

7/22/2007  
Blogger Nuno West said...

Um pouco de nada...

É um bom começo.

7/22/2007  
Blogger Utzi said...

Anamoris, há muito tempo que não deixavas por aqui as tuas palavras... :) Mil beijinhos

Madrugada, tás a fazer-me concorrência no meu próprio blog?... Tá mali... hehehe :) Lindas palavras, obrigada. Beijinhos

Grey moon wolf, já vi que sabes do que falo... :) Beijo

Vermelhinha, um beijinho para ti

R., querendo isso dizer que gostaste ou não?... Desta vez fiquei com dúvidas... Beijo

Márcio, ainda bem que me reencontraste ;) Beijo

Milla loureiro, obrigada pela visita, volta quando quiseres :) Beijinhos

Carteiro, concordo plenamente contigo... :) Palavras sensíveis, que só podiam ter sido escritas por uma pessoa como tu. Mil beijos

Nuno West, ou uma boa despedida... Beijos

7/23/2007  
Blogger tonsdeazul said...

Utzi, minha querida
Mais uma vez não tenho palavras para as tuas. :)
Dentro do nada dele, está o todo teu. Adorei.

7/27/2007  
Blogger Utzi said...

Tonsdeazul, pois olha que fico muito agradecida pelas palavras que dizes que não tens... :) Beijinhos

7/27/2007  

Enviar um comentário

<< Home