segunda-feira, 15 de outubro de 2007











Devias estar aqui rente aos meus lábios
para dividir contigo esta amargura
dos meus dias partidos um a um

- Eu vi a terra limpa no teu rosto,
Só no teu rosto e nunca em mais nenhum

Eugénio de Andrade

Imagem retirada de http://olhares.aeiou.pt

16 Comments:

Blogger as velas ardem ate ao fim said...

Deixo te este poema de Conceição Paranhos, sobre o tempo, os dias partidos....


Ocultem os outros
a palavra tempo
em poemas curtos
com tal tema, centro.

A palavra tempo
deve ser usada
tantas vezes quanto
impuser nossa alma.

A palavra tempo
descerra suas portas
de argila e de vento,
suas linhas tortas.

Escrever o tempo
permite retornos:
ligeiros transtornos,
fugaz contratempo.

Porque tempo, tempo,
tempo passa, corre;
se você não dorme,
ele pára, lento.

Importa saber
com visão preclara
o que quer dizer
o tempo, que exala.


bjinhos e boa semana

10/15/2007  
Blogger NeLiNhA said...

é bonito, sim! mas os teus são sempre melhores!!!

10/15/2007  
Blogger Francis said...

não usasses a boia que ele estava aí...

já sei, fico sogadito.

10/15/2007  
Anonymous Constança said...

Gosto tanto de Eugénio de Andrade!

10/15/2007  
Blogger Pedacinhos de uma vida said...

Gostei tanto =)

Um beijinho*

10/15/2007  
Blogger O Profeta said...

Intensos sentireserrante aromas de paixão...

Doce beijo

10/15/2007  
Blogger Bichinho said...

Devias estar...

Beijo fantasma.

10/15/2007  
Blogger Brain said...

Ui!

Até na escolha de um trecho de terceiros,
És fantástica!

Mas também...
Não sei porque é que ainda me admiro!
:)

Beijo.

10/15/2007  
Blogger Mário Franco said...

EU GÉNIO DE ANDRADE
partilhar escolhas inteligentes é mostrar inteligência

10/15/2007  
Blogger Pedro Branco said...

Pelo rio de tantos dias perdidos
Perto de cada arranhão de amor
Deito-me nos teus versos idos
Na espera cruel de te ter sem dor

Pela corrente forte das manhãs eternas
Longe de mim, dentro da tua saudade
Navego solto nos teus braços, nas tuas pernas
Para morrer, em ti, Eugénio de Andrade...

(ousei escrever.te)

10/15/2007  
Anonymous Secreta said...

Excelente ... Eugênio de Andrade.

10/16/2007  
Blogger Utzi said...

As velas ardem até ao fim, lindíssimo esse poema. Obrigada :) Mil beijos

Nelinha, tu és linda :) Quem me dera poder sequer ser comparada a Eugénio de Andrade... Mas fico enternecida pelo teu carinho... Mesmo. Mil beijos

Francis, nem mais, sogadito. Beijo

Constança, também eu, adoro. Beijinhos, querida :)

Pedacinhos de uma vida, ainda bem que gostaste :) Beijinhos

O profeta, um beijo para ti

Bichinho, um beijinho (pa rimar) :)

Brain, obrigada :) Tu estragas-me com elogios... Beijo grande

Mário franco, obrigada. Um beijo :)

Pedro branco, fantástico, como sempre. Um beijo

Secreta, obrigada pela visita. Espero que voltes para ler mais. Beijo

10/16/2007  
Blogger cm said...

de Eugénio há sempre um olhar rasgando o céu ate á terra...com gente pelo meio

10/16/2007  
Blogger Utzi said...

Cm, mais uma paixão que partilhamos, tu e eu... Depois do mar. Beijo

10/16/2007  
Blogger Maria João said...

Um dos meus poetas favoritos! Acho que jà te disse alguma vez que adoro poesia... aliàs, eu encontro poesia nas palavras... na locais de que mais gosto... na dança (ainda nao te disse mas tenho ido a umas aulas aqui em Italia :))... Musica e poesia!... encontro-as em quase tudo que me faz feliz! :)

10/16/2007  
Blogger Utzi said...

Maria joão, como eu te entendo... :)
Fico feliz por saber que tens ido a umas aulas por aí... Acho que quando se ama algo como tu amas a dança, deve-se cultivar sempre esse amor.

Mil beijinhos, bailarina linda :)

10/16/2007  

Enviar um comentário

<< Home