segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

Promessas

Guardámos as promessas em caixas de cartão
Que arrumámos a um canto esquecido.
Promessas cobertas de pó,
Promessas de papel velho e amarelecido.
Nunca mais nos lembrámos delas,
Ali, abandonadas de nós,
Promessas solitárias,
Promessas tristes e sós.
Passaram dias, meses, anos
E elas ali ficaram,
Quietas e sem se queixar,
Não se fizeram notar,
Promessas antigas,
Promessas cansadas de não serem cumpridas,
Promessas resignadas ao seu lugar,
Às caixas de cartão que num canto esquecido deixámos ficar.

20 Comments:

Blogger Putty Cat said...

Cantos esquecidos e varridos pelo tempo...

Como sempre *****

12/17/2007  
Blogger Francis said...

é o triste final das memórias...

12/17/2007  
Blogger melgadoporto said...

Todos um dia passamos pelas “promessas”.
Promessas, que melhor seriam se fossem um simples acreditar.
Mas não! Exigem que sejam promessas.
E afinal tinha mais valido ficar pelo simples acreditar.
:)
PS: Costuma-se dizer: Se os não vences, junta-te a eles.
Mas eu não me junta às libelinhas, só porque adoram comer melgas :)

12/17/2007  
Blogger Bárbara Cecília said...

Linda Nuvem, essas promessas me assustam! Tenho infinitas guardadas. De lado, quietas. Tenho tentado não prometer mais, ou, ao menos, menos. Beijo!

12/17/2007  
Blogger Hyoma said...

Excelente ideia e transmissão de palavras...
Com simplicidade realças-te uma questão, sempre tão complexa, que são as promessas...

Promessas que vêm, e promessas que vão...Embaladas pelo pó e por outros sentimentos silenciosos...
Adorei.

12/17/2007  
Blogger Putty Cat said...

Cloud,

Agora podes encontrar-me aqui:

http://oladobdalua.blogspot.com/

12/17/2007  
Blogger True colors said...

Tenho algumas dessas guardadas... Acho que está na hora de as tirar da caixa, desempoeirá-las e relembrar porque razão ficaram tanto tempo abandonadas...
Beijos doces

12/17/2007  
Blogger Brain said...

E eu pergunto:
As promessas, têm validade?

Eu gostava de saber,
A resposta a este pergunta.

E não será que depois do tempo,
Elas perdem o significado?

E não será que os desejos de hoje,
Podem ser os "indesejos" de amanhã?

Eu gostava de saber,
Se as promessas,
Não deveriam,
Ter validade!

Cloud,
Simples e belo,
Como tão bem sabes fazer.

Um beijo meu.

12/17/2007  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

É tão importante arrumarmos as caixas...

bjo

(lindo como spre)

12/17/2007  
Blogger htsousa said...

Nunca se resignam, pois não? Há sempre um dia em que, embrenhados em arrumações, damos com a caixa.

12/17/2007  
Blogger Joseph said...

Mensagem de Natal:

Enquanto a infância acreditar em magia...
Enquanto existir o clarão das velas
E as canções forem cantadas com alegria
Enquanto o amor entrar pelas janelas!

Sempre haverá Natal...

Enquanto a fé habitar em nossos corações
E as estrelas reluzirem com luz...
Enquanto caminharmos em busca de emoções
E o brilho do Céu nos conduzir
ao Menino Jesus,

Então haverá Natal...

FELIZ NATAL/2007

12/17/2007  
Blogger Carol Barcellos said...

Meu amor cometeu um erro: revestir de eternidade suas promessas, antes de voltar atrás em palavras. Agora, esperarei-as sempre, e ele será sempre fútil se não cumpri-las. Mas, se algum dia retornar, eu mesmo esquecerei as promessas antigas, e pedirei que façamos outra: não prometer jamais...

Ui, nem sei de onde tirei isso. A verdade é que sairia correndo, e diria: Sim, sim, sim!!!! :0>

Beijos!!! Uma excelente semana pra vc!

12/18/2007  
Blogger Oliver Pickwick said...

Ei, Nuvem, suas poesias são únicas, tem identidade, são reconhecíveis mesmo num turbilhão de palavras.
Aprecio a sua fidelidade a este estilo.
Beijos, e tenha a melhor das semanas!

12/18/2007  
Blogger Lídia Amorim said...

já fiz tantas promessas a mim mesma...

e lá continuam arrumadas na caixinha de cartão empoeirada...

bjokas!

12/18/2007  
Anonymous Anónimo said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

12/18/2007  
Blogger Blue Velvet said...

Lindo demais.
" Don't make promises you can't keep" dizem os ingleses, e bem.
Mas, se as fizermos e guardarmos em caixas, menos mal, podemos sempre resgatá-las.
Está chovendo.
É da tua nuvem?
beijinhos

12/18/2007  
Blogger little_blue_sheep said...

...gostei do post...
:*

12/18/2007  
Blogger Heartbeat said...

Assim, escrever é magia. Passa pelo meu se puderes.

http://me-and-my-heartbeats.blogspot.com/

12/18/2007  
Blogger tonsdeazul said...

Não gosto de promessas...
Não gosto que me prometam...
Não gosto de prometer...
Não gosto nada de promessas...
Nem gosto nada da palavra promessa, nem no plural!!

Beijinhos grandes

Nota: Lancei-te um desafio no tonsdeazul. :)

12/19/2007  
Blogger nuvem said...

Mil beijos para todos e perdoem a minha falta de tempo para comentar individualmente as vossas palavras, que leio sempre com carinho.

Obrigada por estarem sempre comigo.

12/19/2007  

Enviar um comentário

<< Home