sábado, 9 de fevereiro de 2008

Sem ti












Era Inverno.
Ou seria apenas o frio do vento que entrava pela janela e me rasgava o peito...
Era noite.
Ou seriam os meus olhos a fechar-se por não poderem ver o teu rosto perfeito...
Era medo.
Ou seria o ruído da tua ausência a ranger no fundo do meu coração desfeito...

Eras tu.
Ou não serias mais que uma doce memória?
Eram flores nas minhas mãos,
E mar na tua boca,
E todo um céu rendido à nossa história...

Era tarde.
Ou seria apenas o começo de uma vida que sem ti ficara oca...


Imagem retirada de olhares.aeiou.pt

40 Comments:

Blogger Carol Barcellos said...

Amo ler o que você escreve sobre ausência, é sempre tão lindo! E eu sempre me identifico muito...
Teu blog é escrito com amor, fala de amor, sentido de qualquer jeito, vivido, sonhado, sentido, perdido...enfim, um verdadeiro caleidoscópio de sensações!

Beijos e uma dúzia de rosas de cristal!!! :o*

2/10/2008  
Blogger Heartbeat said...

Estou viciado em tudo o que escreves. Um beijo nuvem

http://me-and-my-heartbeats.blogspot.com/

2/10/2008  
Blogger Katynha said...

Sem dúvida que escrito com muito amor...

2/10/2008  
Blogger Mr.Blonde said...

Estes teus poemas são qualquer coisa de extraordinário. Parabéns pela sempre grande escolha das fotos. Assentam sempre bem.

"Era tarde.
Ou seria apenas o começo de uma vida que sem ti ficara oca..."

2/10/2008  
Blogger Maria Laura said...

Por vezes o frio é só in terior. Como o dizes bem!

2/10/2008  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

Estava frio, muito frio...

A dor sentida do amor e da saudade...lindo Nuvem!

bjo e boa semana

2/10/2008  
Blogger Carol said...

Estás-te a tornar um vício!!

2/10/2008  
Blogger Blue Velvet said...

O que eu gostava de saber escrever assim...
Ai
Beijinhos , amiga

2/10/2008  
Blogger nuvem said...

Carol barcellos, é verdade, amor é o que não falta por aqui... Principalmente Amor pelo maravilhoso mundo das palavras. Beijinhos :)

Heartbeat, um bom vício, espero :) Beijo

Katynha, obrigada pela visita e pelas palavras deixadas :) Volta quando quiseres, Beijo

Mr.blonde, muito obrigada :) Beijinhos

Maria laura, é o maior frio que alguma vez podemos sentir... Beijinhos

As velas ardem até ao fim, obrigada :) Beijinhos para ti

Carol, já és a segunda a dizer isso nos comentários deste post... Já estou a ficar preocupada, ainda consideram os meus poemas de droga ilícita e a leitura da minha escrita de consumo ilegal e depois como é? :D Beijinhos e obrigada!

2/10/2008  
Blogger Baraújo said...

[era]... mas faz por deixar de ser um verbo passado...

cheguei ao fim e só pensei nisto passado uns minutos... fikei blokeado!

beijo terno

2/10/2008  
Blogger Divinius said...

GOSTEI DE LER)
A LUZ QUE TE DEIXO É DA COR DA MINHA VIDA:)

2/11/2008  
Blogger nuvem said...

Querida Blue velvet, não sei porquê, o teu comentário só apareceu aí em cima hoje... :s perdoa-me não ter respondido junto com os demais. Tu escreves muitíssimo bem, eu adoro ler-te. Num outro estilo, é certo, mas de grande qualidade. Mil beijos muito grandes :)

Baraújo, espero que já tenhas feito um reset hehehe :) Beijos

Divinius, obrigada pela luz e pela visita :) Volta sempre. Beijo

2/11/2008  
Blogger Narrator said...

Beautiful Cloud

I say: Hell with all the memories that torn us apart...

Dear Cloud, remain faithful to the illustrations of the skies...

A tear dropped and I smiled. It was here, in heaven.

2/11/2008  
Blogger Ana said...

Palavras envolventes e cristalinas não fossem elas gotas de água derramadas por uma nuvem sempre inspirada...


Sublime!!!
Fica bem
Beijinho

2/11/2008  
Blogger Pedro Branco said...

Poiso na janela que abre o meu peito à paixão
Aceno levemente, talvez com o olhar, talvez com o coração
Sei-me demasiadamente vazio para amar
Hoje sinto-me o pó mais secreto do mar
Onde nada acontece: nem maré... nem tempestade... nem morte... nem o teu leve desaguar...

Poiso em mim. Fechado por entre as minhas memórias.
Encoberto por entre as dores de todas as histórias
Rouco dos gritos de me desfazer o peito
Inerte. Intranquilamente desfeito
Sem mais nada acontecer: nem o canto... nem o pudor... nem a selva. Sou palco de todas as escórias.
Lixo. Perto demais de desgraça.
Ainda por cima acenando a quem passa...

Rapidamente viro as costas e fujo. Com medo de me reencontrar...

2/11/2008  
Anonymous Rosa Xhoque said...

Como gosto do que escreves, resolvi premiar-te:

http://rosa_xhoque.blogs.sapo.pt/7410.html

2/12/2008  
Blogger Brain said...

Demasiado cru,
Demasiado real,
Demasiado sentido,
Demasiado...

EXCELENTE!

Um Beijo meu.

2/12/2008  
Blogger Nuno Tavares said...

Passei só pra ver se continuas a escrever como um anjo... confirmado!

Beijo

2/12/2008  
Blogger nuvem said...

Narrator, do i know you? Because i feel like i do... Kiss

Ana, obrigada :) Beijinhos

Pedro branco, sempre inspirado. Beijo :)

Rosa Xhoque, muito obrigada :) Beijos

Brain, demasiado gentil, tu :) Obrigada, beijinhos

Nuno tavares, obrigada pelo belíssimo título que me deste :) De coração. Beijinhos

2/12/2008  
Blogger carteiro said...

Estas palavras arrepiaram-me todo... estão lindíssimas. Docemente melancólicas, como eu gosto e percebo :)
Um beijinho.

2/12/2008  
Blogger Narrator said...

Cloud...

Maybe you know me, or not...But now you filled me up with curiosity...Why the hell do you feel that you know me???

There are certain things unexplainable...

Kiss

2/12/2008  
Blogger nuvem said...

Carteiro, obrigada :) Mil beijos para ti, querido amigo

Narrator, because you are one of the few people that i know, who are capable of using the words hell and heaven in the same speach as if they where family... But, as you say, there are certain things unexplainable... Kiss

2/12/2008  
Blogger nuvem said...

*were

2/12/2008  
Blogger Karina said...

Entendo bem como uma pessoa tão ausente pode continuar tão presente.
Bjinhos

2/13/2008  
Blogger Alias said...

Ou será que te encontrei por acaso e vou voltar aqui mais vezes... :D
Gostei muito.
Bonitos textos.
Por aqui respiram-se "sentimentos" á flor da pele... e gosto.

2/13/2008  
Blogger Sam said...

Já não posso passar sem ler-te...
Mais uma vez rendo-me as suas palavras.
Lindo!!!

Bjos!!!

2/13/2008  
Blogger Carlos Ramos said...

Um bocadinho de David Lynch nas tuas palavras e o resto escreves muito bem, pairas bem lá no alto da emoção.

Bj.

2/13/2008  
Blogger tonsdeazul said...

Ó tão bonitas estão estas tuas palavras. Tão tristes e tão doces.

2/13/2008  
Blogger Lídia Amorim said...

não há nuvem nenhuma que escreva com tanto sentimento como tu :P

bjinhuuuuuuusssss*/

2/13/2008  
Blogger nuvem said...

Karina, um beijinho para ti :)

Alias, por acaso ou não, ainda bem que encontraste e que gostaste. Volta sim, sempre que te apetecer. Beijo

Sam, obrigada :) Beijos

Carlos ramos, de quem tu te foste lembrar... por acaso detesto esse realizador! Mas obrigada pelas palavras. Beijo :)

Tonsdeazul, tristes e doces... :) Obrigada. Mil beijos

Lídia amorim, obrigada linda :) Beijinhos

2/13/2008  
Blogger Blue Velvet said...

Linda Nuvem,
voltei para te dizer que tens um DESAFIO na Bluezinha.
Beijinhos

2/13/2008  
Blogger Narrator said...

Damn… I think you have trapped me.

Some things are unexplainable, and some of them are inevitable…

Astral Kiss

2/13/2008  
Blogger Nilson Barcelli said...

Este teu poema é sublime, embora triste.
Mas a poesia é assim mesmo, e sendo verdade ou ficção (espero que seja este o caso) tu consegues transmitir imagens e sentimentos com uma qualidade literária invejável.

Bom resto de semana, beijinhos.

2/13/2008  
Blogger Oliver Pickwick said...

As sensações do desamor em versos tão belos e tocantes, encerrando docemente o ciclo do amor.
Beijos!

2/13/2008  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

um bjinho

2/14/2008  
Blogger nuvem said...

Blue velvet, mil beijinhos para ti :)

Narrator, if you say so... Kiss

Nilson, fico sem palavras. Obrigada :) Mil beijos

Oliver, ainda bem que apreciaste. Mil beijos :)

As velas ardem até ao fim, para ti muitos mais :)

2/14/2008  
Blogger LNeves said...

A vida fica sempre mais oca quando não temos quem amamos do lado não é nuvem???

***MUAH***

2/14/2008  
Blogger nuvem said...

Ineves, sem dúvida... Beijinhos :)

2/14/2008  
Blogger Ana Grama said...

Só hoje vi as muito simpáticas palavras que deixaste na grama que já foi minha e vim ter à tua nuvem.

Confesso, não li tudo... ainda.
Confesso, será difícil não o fazer ainda hoje pela calada da noite.

A mim é que me falham as palavras.

Beijinhos

2/16/2008  
Blogger nuvem said...

Ana grama, as minhas palavras não foram simpáticas, acho mesmo que foram pouco para expressar o que senti com a tua escrita. O poema "Nada a delarar", para mim, é uma obra-prima. Aliás, gostaria de te pedir autorização para o publicar aqui na minha nuvem, devidamente identificado. Quanto a tudo o resto, adorei. Uma escrita deliciosa, bem construída e muito criativa. Tenho pena que não continues a acrescentar umas gramitas aqui e ali... Beijinhos, é um prazer ter-te por cá. Beijinhos

2/16/2008  

Enviar um comentário

<< Home