segunda-feira, 5 de maio de 2008

Quantas vezes


Quantas vezes dissemos adeus?
Quantas vezes tentámos afastar-nos um do outro
Com simples passos?

Quantas vezes me tiveste nos braços,
Enquanto chorávamos juntos a despedida?
Quantas vezes foste tu a fé que julguei perdida,
E eu a razão dos medos teus?

Quantas vezes já sonhei que te tinha?
Saberás?...

E quantas vezes mais acordarei sozinha,
Se na verdade estou onde tu estás...


Imagem retirada de http://olhares.aeiou.pt

32 Comments:

Blogger Edu said...

"E quantas vezes mais acordarei sozinha,
Se na verdade estou onde tu estás..."

Bem por vezes a distançia aumenta com com a proximidade, é triste mas é mesmo assim.
bju

5/05/2008  
Blogger Otário said...

gostei desse pensamento. belo blog!

kisses

5/05/2008  
Blogger Brain said...

Quantas vezes mais,
Continuarei eu a ler-te,
E a simplesmente deliciar-me,
Com a tua escrita?

Quantas vezes?

Mas... sabes?
Uma teria com certeza chegado!
Estou absolutamente certo QUE SIM!

Um Beijo meu.

5/05/2008  
Blogger tonsdeazul said...

Já perdi a conta às vezes...

E já agora aproveito para dizer que não tenho vergonha de fazer inveja, lá no tons, com os meus smarties! :p Estão lá especialmente para meninas gulosas como tu! Ehehe

5/05/2008  
Blogger antonio said...

E o que existe para além da paixão que não sejam simples passos?

5/05/2008  
Blogger Paulo Henrique Pergher said...

Quantas poetisas românticas por este mundo. :)

E quantas vezes perdemos o sol a raiar ou a lua a nos olhar.
Pois quantos são dias em que não faço-me eu, mas tu.

Ñ resisti a comentar. :D

5/05/2008  
Blogger NeLiNhA said...

só a nós nos cabe reduzir esse número de vezes...

beijinho

5/05/2008  
Blogger Xisko the kid said...

porquê tanta dor ?
vivemos sós ?
a quem devemos a alegria de um encontro ?

5/05/2008  
Blogger Jose said...

Quantas vezes li este belo e simples poema e fiquei sem palavras vou ler mais umas quantas vezes, talvez consiga dizer alguma coisa.


Um beijo


José

5/05/2008  
Blogger ContorNUS said...

um sem números de vezes... em sinal de retorno ;)

5/06/2008  
Blogger nuvem said...

Edu, também acontece, é verdade. E é triste, concordo... Mas a vida é mesmo assim, imprevisível. Beijos

Otário, obrigada. Espero que voltes. Beijos

Brain, muito obrigada pelas tuas palavras... Mesmo. Um beijo

Tonsdeazul, ah sua feia... Não bastava no seu blog, ainda vem para aqui picar mais as pessoas... tsss tsss hehehe Beijinhos, linda :)

Antonio... :) Beijo

Paulo henrique, fez muito bem em comentar, espero que o faça mais vezes. Obrigada e um beijo

Nelinha, beijos para ti :)

Xisko the kid, tantas são as perguntas que nos colocamos, que por vezes deixamos de ter capacidade de resposta... Beijos

Jose, fico honrada com as tuas palavras. Muito obrigada. Beijos

Contornus... :) Beijos

5/06/2008  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

Quantas vezes mais acordarei sozinha.Eu aco que o meu destino é para sempre.

Bjinhos

5/06/2008  
Blogger nuvem said...

As velas ardem ate ao fim, olha que para sempre é muito tempo... ;) Beijinhos

5/06/2008  
Blogger Ju said...

Gostei do sentimento que o poema encerra, assim como a sua sonoridade e o modo como as palavras se vão desenrolando e nos enredando de tal forma que é impossível acabar de o ler e não o adorar!
Está mesmo muito bonita, gostei muito!
Espero que nunca percas a inspiração para que continues a deliciar-nos com as tuas palavras...
Beij*

5/06/2008  
Blogger Narrador said...

...E quantas vezes nos despedimos sem proferir essa palavra? Adeus... Seria a porta a querer ser deixada aberta? Enquanto o coração teimava em fechar-se?

"E quantas vezes mais acordarei sozinha,
Se na verdade estou onde tu estás..."

Acordas acompanhada...

5/06/2008  
Blogger Bloguemate said...

Quantas vezes... queres que te diga que gostei?

5/06/2008  
Blogger Donagata said...

Quantas vezes mais continuarei a ficar com o sabor das suas palavras colado ao meu sentir?
Quantas vezes mais sentirei esta forte compulsão de ler e reler e voltar ainda a ler para, no fim, vibrar emocionada?
Beijos, muitos.

5/07/2008  
Blogger Lídia Amorim said...

Quando a proximidade se torna simplesmente fisica...

bjokas*/

5/07/2008  
Blogger BlueVelvet said...

E quantas vezes mais virei aqui ler-te e achar que não é possível "dizer" o que escreves, de forma mais sentida e mais bonita?
Já passei por sentires destes mas não consegui pô-los no papel.
Linda, linda Nuvem
beijinhos e veludinhos azuis

5/07/2008  
Blogger nuvem said...

Ju, muito obrigada pelas simpáticas palavras que me deixaste. Espero que as primeiras de muitas mais. Beijinhos

Narrador, por vezes a ausência consegue ser uma presença muito forte mesmo... Beijo

Bloguemate, basta uma! Muito obrigada :) Beijos

Donagata, fico sempre honrada e muito feliz com as suas palavras. Obrigada, do fundo do coração. Mil beijos

Lídia amorim, beijinhos para ti :)

Bluevelvet, não me canso de te agradecer por tanta generosidade e carinho que me dedicas. Um beijo muito grande para ti :)

5/07/2008  
Blogger TCHI de Tchivinguiro said...

Que importa as vezes de adeus pronunciados,
de afastamentos tentados, se estás onde ele está?...

Quem se quer quer-se sempre bem e, quanto possível, unissonante e próximo.

Beijinho.

5/07/2008  
Blogger Enfim... said...

esta lindoooo

beijinhos

5/07/2008  
Blogger Martim said...

muito á frente...continua que eu volto:)
beijos

5/07/2008  
Blogger Carlos Ramos said...

Não tenho como te agradecer, não tenho mesmo. Só e apenas dizer que tudo é sempre pouco para algumas coisas que tem a ver com asas...

bj.

5/07/2008  
Blogger nuvem said...

Tchi, questões complexas essas... Beijos

Enfim, obrigada :) Beijos

Martin, volta mesmo! Beijo

Carlos ramos, a melhor forma de me agradeceres é continuares a escrever com a mesma qualidade e sensibilidade... E eu é que agradeço! Beijinhos

5/07/2008  
Blogger Xisko the kid said...

nada pior do que não conseguirmos responder a nós próprios.
é um sinal.

5/07/2008  
Blogger nuvem said...

Xisko the kid, é um sinal de que temos que procurar melhor as respostas, temos que fazer incidir a luz nos locais que ainda estão escuros dentro de nós... Correndo o risco de, mesmo assim, não conseguir ver nada nesses locais, porque há perguntas que nunca chegam a ter resposta... Nesse caso só nos resta saber lidar com a frustração inerente à dúvida que persiste. Beijos

5/07/2008  
Blogger MADRUGADA... said...

Sempre. Que - bem.

5/08/2008  
Blogger Jordan Duailibe said...

Quantas vezes eu; estando repleto de amigos ainda estava só...bela poesia...

5/08/2008  
Blogger nuvem said...

Madrugada, beijo para ti :)

Jordan Duailibe, essa sensação de solidão existencial é, de facto, penosa... Um beijo e espero que pouses nesta nuvem mais vezes. Beijo

5/08/2008  
Blogger Oliver Pickwick said...

querida Nuvem, escreve de um modo tão bonito acerca de amores e desamores, que às vezes chega a confundir-me, tamanha é a intensidade dos sentimentos.
Um beijo!

5/10/2008  
Blogger nuvem said...

Oliver, também confusos são os sentimentos, por vezes... :) Beijos

5/11/2008  

Enviar um comentário

<< Home