sexta-feira, 2 de maio de 2008

Queria


Queria dizer-te que deixo tudo por ti,
Tudo o que sou, tudo o que vivi,

Que já nada me importa,

Que fechei esta porta,

Que desisti...


Queria ter a tua força desmedida,
A tua coragem destemida,

E enfrentar todos os medos,

Gritar os meus segredos,
E dizer ao mundo inteiro

Que sem ti sou um triste veleiro,
Sem rumo, sem vento, sem vida.


Imagem retirada de http://recantodasletras.uol.com.br

18 Comments:

Blogger BlueVelvet said...

Querida Nuvem,
tenho andado um bocadinho fora do ar com as obras lá de casa.
Vim dizer-te que tens lá uns mimos, sendo que um deles foi feito quase de propósito para ti.
Quanto aoque escreveste, lindo como sempre, acredito que seja um belo exercício de escrita.
Porque sera que não te imagino perdida?
Bom fim-de-semana e veludinhos azuis

5/02/2008  
Anonymous Anónimo said...

Entao Diz !!!
Grita bem alto , de forma a q os passaros oiçam e possam levar a mensagem ainda mais Longe !!!
Mas Diz , e quando te faltar a vos ...
Pede-me q eu DOU-TE a Minha !!!

Para SEMPRE teu !!!

Bjo doce ;) ...

5/02/2008  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

Queria muitooooooo!!
bjinho

5/02/2008  
Blogger Heartbeat said...

como sempre... é um prazer "ler-te".

Beijinho Nuvem :)

http://me-and-my-heartbeats.blogspot.com/

5/02/2008  
Anonymous Rosa Xhoque said...

Como sempre um poema de bom gosto e cheio de sentimento.

Aproveito para te dizer que o meu blog fotográfico já está a correr na blogosfera. Dá uma espreitadela e sente-te à vontade para utilizares as imagens que gostares 8se gostares de alguma...), pois sei que tens sempre o cuidade de referir de onde retiras as tuas imagens.

www.rosa-flash.blogspot.com

Visita-me

5/02/2008  
Blogger Karina said...

Olá, Nuvem.
Que saudade que eu estava deste lugar.
Mais um belo texto, gosto de pessoas assim, que largam tudo, sem olhar para trás. Decididas, destemidas. Às vezes, aliás, na maioria das vezes, quebramos a cara, mas somos nós os que vivemos de verdade.
Bjos, querida!

5/02/2008  
Blogger Joseph said...

Nuvem
Olá

Mais um bom poema.

Parece que dividido ao meio?
Por vezes, fazemos confusão na interpretação, pois não sabemos se se trata de palavras reais ou simplesmente um jogo de palavras poéticas como despedida ou como desejo de um regresso.

Gostei. Sabes que gosto da maneira como escreves.

Um bom fim de semana.

Beijos ternos, com carinho;)**

5/03/2008  
Blogger antonio said...

O que se vive, será uma porta que se fecha? Julgo que nem desitindo conseguimos fechar essa porta.

Quando muito seremos esse teu veleiro.

5/03/2008  
Anonymous Anónimo said...

Já tinha saudades de te ler!!!
Agora num bocadinho que a Leonor me permitiu, vim aqui matar saudades e, como sempre, não me desiludi :)

Um beijinho muito grande amiga uinda :)
ET

5/03/2008  
Blogger Pedro Branco said...

Às vezes apetecia-me dizer-te: "Esquece isso! Deixa que as tuas palavras sejam da tua cor. Faz-me ouvir a tua voz a pronunciar o TEU nome. Sim, esse que existe em ti."

Como se fechasse os olhos e nada mais existisse a não ser a tua presença...

5/03/2008  
Blogger Donagata said...

Mais uma gota do seu génio. Não cessa de me surpreender.
Este já li e reli e continua a tocar-me profundamente.
Um beijo.

5/04/2008  
Blogger Baraújo said...

não deixes...
grita ao vento.
atira mensagens ao mar embebidas em garrafas de vidro...
lança pombas aos sete ventos...
escreve na areia...
escreve na pedra...
diz... escreve...mostra....

mas nunca deixes de ser quem és...

beijo terno

5/04/2008  
Blogger Narrador said...

Diz...Diz tudo isso e mais...

5/04/2008  
Blogger Jacinta said...

Seu poema me leva a fazer e refazer a declaração de amor à vida, ao universo, a tudo que vive em mim e está em mim, fazendo-me o que sou.
Beijos e bom domingo
Jacinta

5/04/2008  
Blogger Katrina said...

Preferi fechar a minha porta.Belo.

5/04/2008  
Blogger NeLiNhA said...

é só ganhar força e coragem...querer é poder :)

5/04/2008  
Blogger nuvem said...

Blue velvet, já tenho os miminhos todos guardadinhos, prontos para um post que conto escrever em breve. Obrigada uma vez mais e um beijo muito grande para ti :)

A., é bom saber que há quem nos empreste a voz quando a nossa nos falha... :) Mil beijos

As velas ardem até ao fim, força amiga, força :) Beijos

Heartbeat, obrigada :) O teu último poema também está um espanto. Adorei. Beijinhos

Rosa xhoque, já lá passei e gostei muito! Obrigada pela confiança. Beijinhos

Karina, pois, tu tens andado desaparecida... Eu também não posso falar muito porque não estou muito melhor... Um beijinho, querida :)

Joseph, dividido... Talvez, um pouco ao jeito dos dilemas que nos assombram o coração... Beijo

Antonio, acho que na vida fechamos muitas portas, apesar de no caso de algumas delas guardarmos sempre a chave... Beijos

Et, nem acredito que passaste por aqui amiga do meu coração! Fico muito feliz :) Um beijo muito grande para ti e muitas cócegas para a Leonor!

Pedro branco, as minhas palavras são sempre da minha cor, são sempre um grito ou um sussurro meus... Beijos

Donagata... Eu qualquer dia já nem sei o que dizer, tal não é a honra que sinto ao lê-la. Obrigada. Um beijo muito sentido

Baraújo, gostei das sugestões. E quanto ao resto, fica prometido :) Beijos

Narrador, talvez não seja preciso muito mais :) Parabéns pelos teus últimos textos, muito bons. Beijos

Jacinta, isso é muito bom :) Espero que o balanço dessa síntese seja positivo. Mil beijos

Katrina, espero que tenha sido a opção certa :) Obrigada. Beijinhos

Nelinha, não é assim tão linear, nem sempre querer é poder :) A vida ensina-nos que existem muitas condicionantes aos nossos desejos, mas de facto também nos ensina que sem luta, sem esforço, nada se consegue... Beijos

5/05/2008  
Blogger Carol Barcellos said...

Nuvem linda, o poema é divino, e me faz lembrar que pelo menos uma vez na vida, vale a pena tomar coragem e gritar nossos segredos. Mesmo que seja apenas uma vez...

Beijocas doces de cristal!!! ;o)

5/08/2008  

Enviar um comentário

<< Home