segunda-feira, 19 de maio de 2008

São pedras


São pedras,
Uma a uma pousadas
Em cima do meu coração...

São tantas e tão pesadas,
Que não me deixam abrir as asas...
Sou um pássaro sem forças,
Esmagado contra o chão.










Imagem retirada de joaobatistalago.multiply.com

17 Comments:

Blogger Annerita said...

Querida Nuvem,
Fiquei um tempo afastada, curtindo a Natureza e o ar puro, retornei e entre minhas saudades estava este cantinho mágico. Vi dor, mesmo poética, mas dor. Muita. Deixo então uma lufada forte de vento para derrubar as pedras e brisa suave para incentivar novos vôos.Com as pedras, não faça um castelo como ensinou o maravilhoso Pessoa, mas uma fonte para resgatar os que tem sede de amor.
Beijos refrescantes.

5/19/2008  
Anonymous Anónimo said...

Eu nao me Imposto de nao voar mais ...
Abdico do meu Vôo para q tu possas voar ...
Toma ... Pega as minhas asas e Vôa ...
Pois de nada serve eu Dar-te as minhas Asas se tu nao Voares bem alto ...
Quero q Voes SEMPRE ... ao meu lado ;)

Bjo doce do teu SEMPRE ...

5/19/2008  
Blogger PavlovDoorman said...

Então mas que escrita é esta????

Opas...Toca de levantar...

Beijo grande Menina Utzi e vamos lá alegrar essa escrita, pois por muito bonita que seja (que é), também gostamos (eu pelo menos gosto) de a ler contente...

5/19/2008  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

A foto é impressionante!

Continuo a achar que deve ser bom voar, mesmo que nos atirem pedras...

um bjo

5/19/2008  
Blogger fatima pb said...

Fiquei esmagada, tb eu! Pela beleza deste teu poema. Às vezes perco-me pelas livrarias, montes de tempo, e sem encontarar poemas tao bonitos quanto os teus...
Um beijo e muitos parabéns!

5/19/2008  
Blogger antonio said...

Um pássaro com alma de nuvem não se deixa esmagar por tão muito, talvez uma ténue carícia o fizesse recolher as asas...

5/19/2008  
Blogger Poeta said...

Nada sera mais pesado que a tua vontade, o teu querer, o teu AMOR, liberta-te dessas pedras, nao sera assim tao dificil, ser poeta é ser louco, atira as pedras contra o teu peito, contra o teu coraçao, contra a tua alma...essas pedras sentiram o teu peso:)
Gostei....
Se gostas de poesia passa no meu blog.
Cumprimentos Poeticos
Nuno Ribeiro

5/20/2008  
Blogger BaBy_BoY_sWiM said...

Muitas vezes as nossas pedras são tão pesadas que não conseguimos levantar voo...

5/20/2008  
Blogger Brain said...

Há pesos no interior de nós,
Que nos deixam com um peso de alma,
Que nos arrasta os olhos pelo chão,
E não deixa que os nossos sentimentos se elevem.

São pedras,
São pesos,
São sombras,
São sentimentos...
Somos nós!

Um Beijo meu.

5/20/2008  
Blogger OUTONO said...

Quando não voamos...é que sabemos quão bom é sentir a liberdade de um voo solto.

Linda conjugação palavra imagem!

Beijinho

5/20/2008  
Blogger Joseph said...

Nuvem
Olá

AMEI este poema.

Pequeno e tão grande na beleza poética das palavras.
Uma pérola literária...triste.
Mas uma pérola.

Se editares um livro, avisa-me.

O que eu gosto de te ler!

Beijinho com carinho;)*

5/20/2008  
Blogger Donagata said...

Mais um magnífico poema que saboreei. Belíssimo.

5/20/2008  
Blogger carteiro said...

Não poderias ter arranjado melhor imagem para ilustrar as tuas palavras :)
O coração, mesmo sem pedras, já consegue ter dias de tanto peso...
Um grande beijinho.

5/21/2008  
Blogger nuvem said...

Annerita, que bom saber que esta nuvem deixa saudades naqueles que nela pousam. Muito obrigada pelas palavras. beijinhos

A. um beijo com asas para ti :)

Pav, lá estaindes bós a dizere que eu só escrebo coisas tristes... hehehe :) Beijos

As velas ardem até ao fim, sim, eu também acho que é bom voar, sejam os voos mais ou menos difíceis, valem a pena.

Fátima, és um amor :) Obrigada, de coração. Mil beijinhos, querida

António, um pássaro é bem mais frágil do que possa aparentar... :) Beijos

Poeta, uma sugestão um tanto ou quanto masoquista a tua... hehehe :) Passarei no teu blog certamente, obrigada pelo convite. Beijo

Baby_boy_swim, há muito que não te via por cá :) Ainda bem que não te esqueceste deste cantinho. Beijos

Brain, um beijo também para ti :)

Outono, obrigada :) Beijos

Joseph, quanta gentileza :) Muito obrigada. Prometo que se esse livro sair um dia, terei todo o gosto em dedicar-te um exemplar. Beijos

Donagata, para si já nem tenho palavras. Roubou-mas todas com tanta beleza que nem sequer as quero de volta! Obrigada e mil beijos :)

Carteiro, espero que o teu ande mais leve :) Beijos amigo.

5/21/2008  
Blogger Baraújo said...

adorei...

adorei a imagem...
adorei o texto...

mas... uma a uma... vou tirar cada pedra, para que possas sorrir... e finalmente livre... voar.

beijo terno

5/21/2008  
Blogger Carol Barcellos said...

Nuvenzinha, não te esqueças, que eu já entrei nessa fila antes do Joseph, hahaha... Quero guardar meu pedacinho de nuvem na cabeceira para lembrar em poesia o que é amar e ser amada, o que é sentir o peso das pedras nas nossas asas, nas nossas mentes, o que é querer voar, e o que é nem ter, às vezes, vontade de continuar voando. Tudo isso, a gente só entende flutuando numa doce nuvenzinha branca reluzente!
Beijinhos doces cristalizados!!! :o*

5/23/2008  
Blogger tonsdeazul said...

Um dia as asas vão abrir-se e tudo ficará mais livre e colorido!

5/26/2008  

Enviar um comentário

<< Home