sexta-feira, 4 de julho de 2008

Abro as mãos para dentro de ti


Abro as mãos para dentro de ti
E deixo cair no chão do teu coração
Tudo o que resta de mim...

E se foi no teu peito que morri,
Peço-te apenas que sejas tu, e só tu,
A varrer os cacos do amor que te ofereci.


Imagem retirada de algum recanto esquecido na net...

18 Comments:

Blogger A menina do bairro said...

lindooo....!

beijitossss

7/04/2008  
Blogger Edu said...

Va não olhes mais para os cacos. deixa-os fikar. Se os apanharem apanham, se não serão levados numa qualquer tempestade, de qualquer forma já não fazem mais parte do teu ser.
Bom FDS e um bjinho

7/04/2008  
Anonymous Anónimo said...

Nuvenzinha linda,
o teu poema está belíssimo, como sempre.
Beijo grande.
ps. desculpa comentar como anónima
:*

7/04/2008  
Blogger Donagata said...

Lindíssimo, como sempre. Será que já "sabe" escrever outra vez? Ou será que também se rendeu à evidência do desperdício de talento que seria, não nos presentear uma vez por outra?! Por acaso terá tido o ensejo de estabelecer comparações e reflectir sobre elas?

Fiquei contentíssima. Um beijão

7/04/2008  
Blogger Joaninha said...

gostei mt do teu blog.

7/05/2008  
Blogger BlueVelvet said...

E se refizésses tu os caquinhos?
Sei que consegues e continuas a escrever coisas maravilhosas como estas, mas just for fun.
Não queres tentar?
Beijinhos linda nuvem

7/05/2008  
Blogger YTMO said...

...pode ser que esses cacos possam ser colados... podem sempre!

bjs***
YTMO

7/05/2008  
Blogger Joseph said...

Nuvem
Olá

Sou da opinião da Bluevelvet!
E, se fosses tu ou ambos a varrerem os cakos, não seria talvez o princípio de um amor lindo?

Digo isto porque não.... consegues deixar de produzir pérolas literárias com um toque poético extremo, sem conseguires ultrapassar a questão!

Adoro ler-te.

Beijinhos ternos;)**

7/05/2008  
Blogger OUTONO said...

Intenso...muito.


Beijinho

7/06/2008  
Blogger Pedro Branco said...

Que tristeza... faço-me rio se te quiseres peixe. Descansa. Que a ua fonte é o espelho dos poetas!

Beijo.

7/06/2008  
Blogger Karina said...

Lindo, Nuvem!!!
De onde vem tanta inspiração, hein?! Será que dá para passar um pouquinho via e-mail?
kkkkkkkkkkkk
Boa semana, querida!
Bjos

7/07/2008  
Blogger Esmeralda said...

Morremos aqui, morremos ali, morremos sempre, mas onde nos dói mais a nossa morte é no coração do nosso amado.
Nós morremos e ele continua vivo em nós.
Nós morremos porque nos mataram, porque o tempo nos definhou simplesmente, morremos…
…e o nosso amado que já não nos vê, recusa também a apanhar, a varrer os cacos, e a nossa vida, a nossa ânfora de barro ficará eternamente presa aos cacos que em algum coração vermelho ainda permanecem.

beijocas

7/07/2008  
Blogger antonio said...

Quem morre no peito de alguém, não se precipita no chão.

7/07/2008  
Blogger Reticências said...

Se fosse possivel...

Os cacos de um amor partido
ficam em nós
até os conseguirmos transformar...


beijo

7/07/2008  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

Lindissimo.

bjo

7/07/2008  
Blogger nuvem said...

Obrigada a todos.

Beijinhos :)

7/08/2008  
Blogger Maria João said...

Ainda bem que voltaste! E com as palavras lindas de sempre :) E a imagem também foi muito bem escolhida :)

Beijinhos doce poetisa!

7/08/2008  
Blogger Ti said...

Mto bom.

7/28/2008  

Enviar um comentário

<< Home