sábado, 23 de agosto de 2008

O adormecer


Beijo os contornos indefinidos do teu rosto
Por entre a densa escuridão da noite.
Os lençóis são ruas estranhas
Onde hoje me perco sem ti.

Com as mãos,
Percorro o espaço que preencheste um dia,
Na ânsia de encontrar o toque do teu corpo...
Pergunto-me se me ouves,
Todas as vezes
Que te digo que ainda te amo,
Mas o silêncio que engoliu o som da tua voz
Responde-me que não...

Então, adormeço,
Recordando o sopro do teu respirar,
Que, gentilmente, vai secando as minhas lágrimas...


Imagem retirada de www.olhares.aeiou.pt

20 Comments:

Anonymous Anónimo said...

o que ardeu..já não têm para arder.

bjs

um leitor que te aprecia e te conhece

8/24/2008  
Blogger antonio - o implume said...

No silêncio nem sempre se esconde um não abafado...

8/24/2008  
Blogger Carol Barcellos said...

Que lindo, Nuvem, é mesmo a recordação do sopro do respirar que seca nossas lágrimas! ;o)

Beijinhos doces cristalizados!!! :o*

8/24/2008  
Blogger Joseph said...

Nuvem
Olá

Mais uma peça poética, muito bonita.
...mas triste.

Há duas hipóteses:
Ou gostas de desenvolver, poéticamente, momentos lindos que já passaram...Voltarão?
...Ou pretendes atingir e fazer retornar quem partiu com destino desconhecido!...

Como sempre a poesia, o poema em si, é lindo!

Beijinhos ternos;)**

8/24/2008  
Blogger OUTONO said...

Se fosse poema, gostaria de ter nascido da tua pena...

Se fosse o outro lado do teu poema, gostaria de dizer-te...estou aqui...

8/24/2008  
Blogger susana said...

Olá nuvenzinha!
Já me actualizei e ando por aqui de novo a ler-te, não tanto para teu prazer, mas para meu. Quero ser egoísta só hoje...

8/25/2008  
Blogger Donagata said...

Lindo, nuvem. Belíssimas palavras que se conjugam num ritmo perfeito.
Essa veia continua mais viva que nunca.

Beijos

8/25/2008  
Blogger Karina said...

Estar sozinho nem sempre é ruim. O que é péssimo é a saudade. Nos consome!
Belo texto, linda!
Bjinhos

8/25/2008  
Blogger Catarina said...

"Quando se ama, não é preciso entender o que acontece lá fora, porque tudo passa a acontecer dentro de nós." (O Alquimista)
Paulo Coelho

A tua poesia deixa-me arrepiada.

8/25/2008  
Anonymous Narrado said...

"Os lençóis são ruas estranhas
Onde hoje me perco sem ti."

E são lençóis que queimam a pele...

Gostei muito.

8/26/2008  
Blogger Bárbara Cecília said...

Estou a sentir um perfume que não abandona minha cama. Minha mente comuna e o cheiro me toma. Me leva longe.

Amo seus versos.

8/26/2008  
Blogger só nós os dois é que sabemos said...

Adormecer assim supenso em ventos e folhas caida ha muito doi mais que se tivessem caido hoje. o Vazio na cama tornaºse cada dia maior. E o silencio mais eterno e frio. Cada lagrima mais facil de chorar.
bju

8/26/2008  
Blogger Edu said...

Sao vazios enormes. Que nos assombram. Silencios que se fortalecem com os nossos lamurios...Por vezes era bom adormecer e so acordar depois de todas as lagrimas nos abandonarem para sempre
abraço

8/26/2008  
Blogger Reticências said...

E às vezes só queremos
que o nosso coração adormeça também…

por uns tempos…

beijo

8/26/2008  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

Estar sozinho é do pior que há.Eu bem sei....

um bjo

8/26/2008  
Blogger Carol said...

Que esse choro dure muito pouco tempo...

8/27/2008  
Blogger Cláudia said...

Perdi-me nas tuas palavras. Nos sentimentos contraditórios que nos guiam a caminhos certos.
Nas palavras que magoam acariciando. Outras que comovem pela dor.
Perdi-me e encontrei-me!

8/27/2008  
Blogger Raphaela said...

Amei...

8/27/2008  
Blogger nuvem said...

Obrigada por todas as palavras que aqui deixaram...

Beijos a todos

8/29/2008  
Blogger Oliver Pickwick said...

Linda alegoria, cara Nuvem. A inspiração, a cada dia, gosta mais de você.
Estive por quase dois meses ausente da blogosfera, por isso não apareci.
Um beijo!

8/31/2008  

Enviar um comentário

<< Home