quinta-feira, 23 de outubro de 2008

De amor e desespero


Amar-te é como andar em equilíbrio
À beira de um precipício,

É ter um incontrolável vício,
E levar as palavras ao desejo de suicídio...

Amar-te é saber a loucura a um passo,
É ver luz onde a não há,
É esperar o que nunca será,
E chorar estrelas e céu recordando o teu abraço...

Amar-te é como ter o coração em guerra,
É morrer um pouco a cada dia,
E viver sonhando o que seria
Uma papoila poder florir na neve da serra...


Imagem retirada de http://quandoeueramenino.blogspot.com

13 Comments:

Blogger antonio - o implume said...

Nos desertos da vida, brancos ou cor de mel, o amor será sempre um grito vermelho de uma papoila a florir...

10/23/2008  
Blogger Walter said...

Amar é aceitar vir a sofrer com um sorriso nos lábios. Li-te estas palavras com que nos brindaste e lembrei-me do excerto do moulin rouge em que o ewan mcgregor e a nicole kidman estão no elefante...ajusta-se na perfeição!
:)
bj
walter

10/23/2008  
Blogger Karina said...

Lindo texto, Nuvem!
De onde vem tanta inspiração, hein?!! Rs
Bjinhos

10/24/2008  
Blogger Nelson Alexandre Soares said...

A beleza vermelha e frágil de uma papoila, que vive na corda bamba das vontades de um tempo despótico. Essa beleza, é a beleza do amor...


Gostei. Há algum tempo que leio o teu incrível blog, mas raras vezes tenho coragem para comentar. Hoje agarrei a oportunidade...



Stay Well

10/24/2008  
Blogger miak said...

Amar é tão complicado na simplicidade dos seus segredos...

10/24/2008  
Blogger Donagata said...

Lindíssimo. É um privilégio ser-se o alvo de um amor assim.

10/26/2008  
Blogger Carol Barcellos said...

Muitas vezes, é a imagem do impossível do nosso querer, que nos faz sorrir...
Fiquei emocionada, Nuvem!

Beijinhos doces cristalizados!!! ;o)

10/26/2008  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

Olha adorei!

Uma papoila poder florir na neve da serra...

uma imagem linda!

bjo

10/27/2008  
Blogger melgadoporto said...

Em cada palavra me ouvi.
Senti o sentir!
Amei o amar!
Dói!... mesmo…
Mas a acreditar no impossível, possível continuo
Só assim poderei sobreviver.
Como sobreviverá a papoila na neve da serra…
Obrigado!

10/27/2008  
Blogger Carlos Ramos said...

O amor ferocidade
o amor alucinação
o amor ferida
o amor cão
o amor sem razão
o amor sufocação...

bj.

10/27/2008  
Blogger Vanessa. said...

Belíssimas palavras!!

10/28/2008  
Blogger nuvem said...

Obrigada a todos...

Beijos

10/30/2008  
Blogger BlueVelvet said...

Gosto destes amores em que se anda sempre "on the edge".
Tão improváveis e impossíveis como nascer uma papoila na neve da serra.
Veludinhos azuis

10/31/2008  

Enviar um comentário

<< Home