quinta-feira, 26 de março de 2009

Inevitabilidade



Os versos são o meu sangue.
Sem eles não posso viver.


Os versos correm-me nas veias.

E eu sou o poema que não sei escrever.


Imagem retirada de http://olhares.aeiou.pt

16 Comments:

Blogger Paco Bailac said...

Un saludo cordial desde la armonia del coaching.


paz


pacobailacoach.blogspot.com

3/26/2009  
Blogger anamoris said...

Nem sei que te diga.
Achei brilhante.
Beijos

3/26/2009  
Blogger PavlovDoorman said...

Se eu fosse a Menina para começar comprava um caderno Pautado...

:P

P.S. beijinho

3/26/2009  
Blogger Donagata said...

Aliás vê-se. Pelo exposto se infere que é o poema que não sabe escrever...

Beijos carregadinhos de orgulho.

3/26/2009  
Anonymous jfx said...

O dom da palavra corre nas suas veias. É o aglomerado de palavras organizado que poucas pessoas conseguem ter junto à frieza do pensamento abstraido do senso comum mas nunca imune à realidade que ostenta o mundo onde socializamos...

Era tão bom que tb eu conseguisse ser assim... muitas dores desvaneceriam por estas páginas web ou em qualquer canto que apontasse a lapiseira... mas como não sou... cá me vou orientando com o sol e a alegria que vejo em cada pessoa que cruzo de sorriso enorme proprio da magia k traz a primavera e que tanto amo ano apos ano... k venham então melhores dias para conseguir tb eu saborear estes raios que sempre oxigenaram o meu cerebro e me dão capacidade para acreditar que a podridão apesar de se multiplicar neste mundo, é ainda em menor escala ou pelo menos que as pessoas k gosto, amo e todas as verdadeiras ainda existentes a conseguem fintar...

Que o sol tb brilhe para si, que os poema continuem a iluminar tb os nosso dias. Digo nossos pk sempre que passo neste cantinho tão seu, respiro fundo, coloco os oculos de sol e acolho cada raio deste "sol" mesmo sendo noite!

bjo *

3/27/2009  
Blogger Jaime said...

Agora é a minha vez:

Versos são versos e só versos,
E não mais do que versos!
E se eu soubesse de versos,
Acabava com um belo verso,
Mas não sei, de modo que...


:-)

3/27/2009  
Blogger AC Rangel said...

Tu és o poema eterno,
que te corre nas veias e
que escreves como ninguém.

Beijo

3/28/2009  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

Tu não escreves tu brincas com as nuvens!

um bjo

3/28/2009  
Blogger Wolf said...

Nuvem

gostei muito de Ler o que me recomendaste, agradeço a visita , e digo-te que entendo a intensidade da tua linguagem de forma clara, o que me dá particular gosto.

Beijinho e fica bem.

Silvio

3/30/2009  
Blogger Flor said...

os versos estão msm no teu sangue...
delicias cada passoa que por aki passa...
beijos mil

3/30/2009  
Blogger nuvem said...

Paco, "un saludo cordial" para ti también :)

Anamoris, eu até fico sem resposta... Obrigada e um beijo muito grande :)

Pav, as suas dicas são sempre úteis... Ainda que eu nem sempre saiba para o quê exactamente lol Beijo

Donagata, soltei uma gargalhada com este seu comentário :) Eu é que tenho orgulho, em tê-la como amiga. Obrigada e um beijo enorme.

Jfx, muito obrigada pelas palavras. Espero que aquilo que escrevo tenha esse efeito por muito tempo... Fico feliz. Beijos

Jaime, vais pelo bom caminho. Segue, segue, segue, num bira...

AC Rangel, muito obrigada por mais este elogio... Beijos

As velas ardem até ao fim, gostei dessa imagem, nuvens e comigo! Beijinhos

Wolf, ainda bem que apreciaste. Vê se apareces mais vezes aqui pelas nuvens, voar faz bem à alma :) Beijos

Flor, obrigada :) Beijinhos distribuídos pelas pétalas!

3/30/2009  
Blogger Melga van Porto said...

Inevitabilidade!
Difícil de ler, de pronunciar e mais ainda de aceitar.
Mas que existe… existe…
Muito mais do que desejaríamos.
Entranha-se nas nossas veias e corre.
Talvez por sem ela não termos vida.
Não sei!
:-)

3/31/2009  
Blogger Oliver Pickwick said...

Todos nós, seus leitores e amigos, adoramos "ler" o seu sangue.
Um beijo!

4/02/2009  
Blogger nuvem said...

Melga van Porto, bom saber que continuas por perto :) Um beijo

Oliver, muito obrigada :) Mil beijos

4/02/2009  
Blogger Pedro Branco said...

Na ponta dos teus dedos
No cheiro da tua pele
No olhar reflexo de ti
Soltam-se os beijos e versos
Sangue que pinta a tua voz
Rente a mais um poema quente
Uma dor, uma memória mais...

És fonte de eterna paixão.

4/06/2009  
Blogger nuvem said...

Pedro Branco, eu, perante as belíssimas palavras que tu escreves, não sou absolutamente nada... Beijos e parabéns por esse dom.

4/13/2009  

Enviar um comentário

<< Home