quinta-feira, 5 de março de 2009

Vida


A vida é este mar que trago no peito e que me enche a alma. É este sol que me queima a pele com a ternura de um primeiro beijo. É todas as luas que se revelam silêncio cantado nas minhas noites. A vida é cada pétala de uma flor que não se colhe por ser demasiado bela. Essa flor que desabrocha nos meus olhos a cada segundo transformado em pó. É esse pó de areia numa praia deserta onde brinquei quando não sabia o que era a vida. É este céu em forma de nuvem. Esta nuvem feita de céu que chove na terra que eu mesma sou. É esta água. A vida é esta água fria e transparente que me acorda pela manhã e me lembra que há sempre manhã. É a criança que ri com o balão que lhe voa das mãos. É esse balão que voa e não volta mais. É choro. É desilusão. É dor. E é nova esperança. Esperança que renasce nas asas de um pássaro sem rumo. A vida é este sonho que não me abandona. Que não sabe partir pois faz parte de mim. Este sonho feito mar que trago no peito e que me enche a alma. Este mar onde hei-de adormecer um dia, quando me morrerem as palavras.


Imagem retirada de http://olhares.aeiou.pt

17 Comments:

Blogger PavlovDoorman said...

"E é nova esperança. Esperança que renasce nas asas de um pássaro sem rumo. A vida é este sonho que não me abandona"

Nunca se esqueça disto Menina Utzi... Nunca...

Está a ver como também escreve bem sem uma temática melancólica/triste?

Beijinho

3/05/2009  
Blogger Sávio Fernandes said...

Raramente deixo comentários no teu blogue.
Desta vez faço-o para dizer que gosto tanto dos teus textos que a maior parte das vezes leio-os duas vezes. (:

3/05/2009  
Blogger Pedro Branco said...

Sei que um dia irei descansar sobre as águas do rio ou nas suas margens... Cansado, deixar-me-ei sorrir a esse destino finalmente anunciado. Levarei os braços aos céus. Erguerei minha voz ao vento e assim se dará a partida... No encalço do sossego por entre as memórias. Para onde vão as histórias quando acabam? Não quero ir para lá.

3/06/2009  
Blogger Maria Papoila said...

"Vamos aproveitar o concerto de Lisboa da Simone e Zélia Duncan para expressar o nosso apoio ao casamento entre pessoas do mesmo sexo usando o nó branco. Faz o teu e usa-o no concerto. Divulga entre os teus amigos".
(www.whiteknot.org)

3/06/2009  
Blogger nuvem said...

Pav, apesar da idade começar a dar-me problemas de memória, há coisas das quais não me esqueço certamente :) eheheh Beijinhos, querido amigo :)

Sávio Fernandes, agradeço de coração as palavras. Acredita que contam imenso para mim.

Pedro Branco, sempre poético. Gosto tanto do que escreves... :)

Maria Papoila, fica divulgada a iniciativa.

3/06/2009  
Blogger Sonhadora said...

Adorei o teu blog!!
Está mesmo lindo!!
Depois passa no meu!!
Um beijo.

3/07/2009  
Blogger PavlovDoorman said...

Espero que essa boca da idade não tenha sido com segundas intenções... :P

Beijinho

3/07/2009  
Blogger Mar Arável said...

é preciso

aprender

a respirar por guelras

3/07/2009  
Blogger carpedieminloveman said...

:-) Sorrio porque... as palavras nunca poderão morrer em ti... terão muitas casas certamente, mas és como um lar para elas. Gosto de as visitar aqui.

3/08/2009  
Blogger Oliver Pickwick said...

Nuvenzinha, inspirada amiga, acho que o Dia da Mulher incrementou ainda mais a sua sensibilidade. Veja você mesma: "a vida é este sonho que não me abandona". Bonito!
Texto realístico, porém de leveza ímpar.
É uma legítima representante do Planeta Mulher.
Um beijo e parabéns pelo seu dia!

3/08/2009  
Blogger Donagata said...

Que ode espantosa à vida. das mais belas que me foi dado ler.

Assim, a vida, apetece mais...

Beijos.

3/08/2009  
Blogger Lucinha said...

Mavilhoso!! Parabéns.. passando pra conhecer seu blog e dar-lhe os parabéns pelo dia Internacional da Mulher.. Tem mimo pra vc em meu blog, espero que goste e aceite... um feliz inicio de semana... beijinhosssss

3/09/2009  
Blogger Spectrum said...

digo assim anunciadamente a favor das tentações. que o voo é mais da linhagem do sabor. das água brancas a tocar a praia. dos sonhos

3/09/2009  
Blogger LORENZO MONSANTO said...

Como sempre te digo...poucos há que, realmente sabem ver a grandiosidade que está nas coisas pequenas e simples da vida...E é esta vida que te abarca e que reconheces. Esta vida alimenta-te.
Poesia na prosa. Gostei muito.

3/09/2009  
Blogger JC said...

Foi a primeira vez que vim ao teu blog, quero dizer-te que fiqui maravilhado da forma como escreves. Textos lindos, portadores de mensagens concretas, frases curtas e palavras escolhidas criteriosamente.
Voltarei
Beijinhos

3/09/2009  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

Ofereço te este texto que não é meu mas que acho que vais gostar:
Não se pode viver sem pensar e não se pode pensar sem palavras. Mas as palavras, quando despojadas da vida são a hemorragia, o esvaziamento da alma. A hemorragia das palavras, está a perder a nossa civilização. Os homens e as sociedades estão a esvaziar-se. Vivemos uma existência anêmica porque abusamos das palavras. Os discursos não param. Perdemos a nossa vida em discussões, e em confissões públicas, e em debates, em processos. [...]vamos passar a história com a idade dos processos. Estamos a ser sangrados pelas palavras.
António Alçada Baptista

um bjo

3/09/2009  
Blogger nuvem said...

Sonhadora, obrigada pela visita e pelas simpáticas palavras deixadas. Prometo retribuir a visita em breve. Beijos

Pav, não senhor, eu não uso nada de segunda, tudo de primeira. Beijinhos, amigo :)

Mar Arável, é preciso aprender a respirar. Sem mais.

carpedieminloveman, fico feliz com os sorrisos que faço acontecer. Obrigada.

Oliver, que bonito elogio... Agradeço de coração. Beijos

Donagata, eu já não sei agradecer aquilo que acho que nem sequer mereço... Um beijo maior que eu.

Lucinha, muito obrigada pela visita e comentário deixado. Passarei no seu cantinho com todo o prazer mal possa. Beijinhos

Spectrum, é bom ter-te como leitor assíduo. Gosto sempre das tuas palavras. Beijos

Lorenzo, que bom que gostaste. Um brinde à vida, caro amigo. Beijos

JC, muito obrigada pelas gentis palavras. Espero ver-te por cá mais vezes. Beijos

As velas ardem até ao fim, já me conheces um pouco... :) Um belo texto, sem dúvida. Obrigada. Beijinhos

3/10/2009  

Enviar um comentário

<< Home