sexta-feira, 11 de setembro de 2009

É a última vez que te escrevo. A última vez que te amo num poema que não lês. A última vez que te beijo por entre as palavras como se elas pudessem ocupar o lugar dos teus lábios. A última vez que te grito a minha saudade nos versos, como se neles pudesse sentir o calor das tuas mãos. Em mim. É a última vez. Este poema és tu. Em mim. Tu, pela última vez.

10 Comments:

Blogger Putty Cat said...

Há que se tomar decisões na vida, abrir a janela para arejar, limpar gavetas e rasgar tudo o que já não nos interessa.

Só assim se pode avançar.
Só assim ganhámos (mais) espaços para novas realidades, novas aventuras, novos versos ;)

beijo meu

9/11/2009  
Blogger eu, do alto do meu salto said...

Não sei se acredito :)
Mas gostei da determinação!

Beijinhos uinda

9/11/2009  
Blogger Maria said...

Gostava de conseguir dizer o mesmo, mas para valer...

9/11/2009  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

é mesmo a ultima??

um bjo

9/12/2009  
Blogger Donagata said...

E a vida é construída por tantas últimas vezes... Mas depois chegam as novas primeiras e...

9/12/2009  
Blogger Brain said...

É?
Mesmo?

I REALLY HOPE SO!

Beijo deste lado.

9/13/2009  
Blogger LORENZO MONSANTO said...

Raramente, a última vez coincide com a palavra que nos sai da boca...

Mas isto só sou eu, que te gosto contradizer.


Mas não é por mal, está bem? ;)

9/14/2009  
Blogger francis said...

mai nada.

9/15/2009  
Blogger Amor amor said...

Saudades, queridaaaaa!!! Tenho andado tão apressada, que não tenho deixado comentários, mas sempre venho ler. E vim aqui para comentar primeiro este, porque me tocou especialmente. São palavras que eu já tentei dizer...

Beijinhos doces cristalizados!!! ;o)

P.S: Quando puder, apareça lá na Rosa. Lá estão minhas desculpas pelo sumiço, hehehe...

9/20/2009  
Blogger Nelson Soares said...

Gostei muito...


Estou a ler e reler vários dos teus escritos. Como é bom regressar...


Um beijinho enorme!



Stay Well

10/03/2009  

Enviar um comentário

<< Home