quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Foram elas, as palavras

Foram elas. As palavras.
Sozinhas, arrastaram-me com todas as suas forças.
Foram elas que me levaram até ao fundo da madrugada.
Foram elas que se abraçaram em pranto, ao meu redor,
até das suas lágrimas nascerem o dia e o poema.


Eu morri de cansaço pelo caminho.

13 Comments:

Blogger Pedro Branco said...

Abro-te a alma em jardim-verso quente
Canto-te o sangue em voz de mar
Beijo-te as palavras em forte e doce corrente
Só assim te saberei cantar...

Salto na praia solto em direcção à lua
Soletro as flores em aromas de ficar
Rio e nino a tua pele ainda nua
Só assim te saberei cantar...

Olho-te no fundo no perfume e magia
Perco-me nos sonhos de nunca acordar
Faço-me janela aberta de noite e de dia
Só assim te saberei cantar

Sofro contigo os pedaços do tempo forte
Sei de nós, vagabundos à luz do luar
Poetas são todos os que morrendo cantam a morte
Só assim te saberei cantar...

1/21/2010  
Blogger Putty Cat said...

Lindo, núbe!!!

Tão lindo que se me entranha por todo o lado! :)

1/21/2010  
Blogger margusta said...

Bonito nuvem!

1/21/2010  
Blogger susana said...

Essas palavras marotas. Eu afogava-as, mas tu escreve-las tão bem!!!

1/22/2010  
Blogger Brain said...

Um dia destes...
BATO-TE!

Ainda não é hoje,
Mas um dia faço-o!

Brain's Promisse
(with - of course - a Kiss from Me)

1/22/2010  
Blogger Lou said...

A força das palavras!
Beijinho*

1/28/2010  
Anonymous Anderson P. da Silva said...

Gostei do texto.
Sei que não tem nada a ver mas realmente as vezes as palavras nos tornam refens.
Abraço.

2/01/2010  
Blogger Mika said...

Que palavras não se cansem de nascer. Mesmo que no silêncio o cansaço espere esse chegar.
Abraço

Miguel

2/02/2010  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

Renasce minha querida....

bjo grande

2/03/2010  
Blogger Lídia Borges said...

As palavras... Às vezes enchem-nos a vida e fazem dela o que querem.
Delicado este lindo poema nascido das lágrimas das palavras.

L.B.

2/05/2010  
Blogger Peregrina said...

As palavras têm tanto poder....

Força!

2/08/2010  
Blogger A.S. said...

Foral elas. As palavras.
Que libertaram
um fulgor que desnuda,
como um olhar oculto
no vértice da noite!
Fogo esparso
que se alastra,
docemente,
até queimarem os lábios
irreprimivéis…

Um beijo...
AL

2/10/2010  
Blogger as velas ardem ate ao fim said...

Espero que estejas bem!

um bjo

2/10/2010  

Enviar um comentário

<< Home