quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Às vezes pergunto-me como é possível amar-te tanto. Amar o teu infindável silêncio, como se me dissesses as mais belas palavras. Amar a tua ausência, como se ela fosse o teu mais terno abraço. Amar o que nunca me deste, como se esse nada fosse o mundo inteiro a dormir no meu regaço.

16 Comments:

Blogger susana said...

Ai... amar assim não vale...

2/18/2010  
Blogger susana said...

Ou vale?

2/18/2010  
Blogger nuvem said...

Susana, no amor, vale tudo... :) Beijinhos

2/18/2010  
Blogger Putty Cat said...

ó Núbe

Isto assim por cima do jantar e da sobremesa já é um excesso!

Vou ficar obesa à tua custa..

bou, bou!

(mas soube-me pela vida!)


Beijos, minha linda

2/18/2010  
Blogger Brain said...

Huuummmmm....

I'm feeling you comming back.

FINALY!

Está...
Fabuloso!
Assim...
Tipo...
Cloud Mesmo!

Beijo Meu.

2/19/2010  
Blogger nuvem said...

Putty, já me acusaram de muita coisa, mas agora de contribuir para a obesidade alheia, é a primeira vez! :) Beijinhos

Brain, glad you liked it :) Beijos

2/19/2010  
Blogger Francis said...

sortudo pá.

2/19/2010  
Blogger nuvem said...

Francis, um beijo para ti :)

2/19/2010  
Blogger Hélder said...

E tens respostas para essa pergunta?! Isso é que era... ;)

2/22/2010  
Blogger nuvem said...

Hélder, dizem que existem mil motivos para não amar uma pessoa, e apenas um para amá-la. Normalmente é este que prevalece, ainda que não saibamos explicá-lo... :) Beijos

2/22/2010  
Blogger José Rui Fernandes said...

É belo amar assim, viver o amor na sua plenitude e acreditar que não terá fim... mesmo que o possa ter...

Um beijo,
José Rui

2/23/2010  
Blogger Hélder said...

Não sei... às vezes acho que amamos mais a ideia do que a pessoa. Outras vezes acho que só amamos a ideia. Depois há dias em que acho que amamos a pessoa realmente... Serei tripolar?

2/23/2010  
Blogger nuvem said...

José Rui Fernandes, é belo sim. Eu diria mesmo que, apesar de toda a dor que, por vezes, nos possa trazer esse amor, não há nada de mais belo na vida. Beijos

Hélder, tripolar é giro! É como que pular com duas pernas e um braço, não? :D

2/23/2010  
Blogger soggyscheme said...

o amor... muito simples, muito complexo.

2/27/2010  
Blogger nuvem said...

Soggyscheme, é, cheio de contradições, como só ele sabe ser... Beijos

3/04/2010  
Blogger Amor amor said...

Dizem que é melhor quando não sabemos por que amamos. Apenas amamos...sem motivo algum. E a pessoa se torna o motivo em si. Estive lendo o Diário da tua ausência, da Margarida Rebelo Pinto. Coisa lindas! E ainda estou tentando obter o teu livro.

Beijinhos doces cristalizados!!! ;o>

3/05/2010  

Enviar um comentário

<< Home