sexta-feira, 26 de março de 2010

Era manhã

Era manhã nos teus olhos, e a luz
a pulsar por dentro das nossas palavras.
E o tempo a esgueirar-se docemente
pelas frestas dos nossos lábios.

Era poema no teu abraço, e a luz
a pulsar por dentro do nosso silêncio.
E felicidade a esgueirar-se docemente
pelas frestas dos nossos lábios.

Éramos tanto, e fomos tão pouco.
E ainda era manhã.

9 Comments:

Blogger Donagata said...

Obrigada. Hoje preciso da beleza das suas palavras como necessitei da beleza da sua generosidade.

Um beijo do meu tamanho!

3/27/2010  
Blogger Pedro Branco said...

Não sei que te diga, mesmo. Este texto levou-me às lágrimas. Como podes...

3/27/2010  
Blogger pin gente said...

não quero que se faça noite.
no calor dos lábios
aquecemos a paixão que nos invade,
o amor que nos arrepia pelos dedos
e se descreve em poema.
a luz da manhã contorna a curva do meu corpo poisado no teu
e projecta numa sombra única
o nosso amor a dois.


um beijo, nuvem

3/27/2010  
Blogger António said...

Sinto que é o poema da tua desilusão.
Um abraço poeticamente sentido.
Que uma nova luz te traga
docemente a felicidade
…perdida

Um abraço
António

3/27/2010  
Blogger CLÁUDIA said...

Talvez então o resto do dia ainda espere algures... por acontecer.
Para poderem ser mais. :)

Beijinhos e bom fim de semana. ***

3/27/2010  
Blogger Putty Cat said...

Não me pôs a chorar, mas gostei muito, tá?


:)

3/29/2010  
Blogger José Rui Fernandes said...

Que outras manhãs assim se inventem e se vivam... em poema e na vida.

Abraço

3/31/2010  
Blogger nuvem said...

Beijos e obrigada a todos os que aqui deixaram as suas palavras e levaram nas asas as minhas...

4/01/2010  
Blogger Renato Morais said...

5*

4/12/2010  

Enviar um comentário

<< Home