segunda-feira, 15 de março de 2010

Gastas as horas


Gastas as horas, o que resta?

Um olhar rendido sobre o que nunca será,
um sorriso arrancado de onde os já não há.

7 Comments:

Blogger Lídia Borges said...

Não obstante o tom triste, gosto da estrutura do poema e da forma sentida como diz a desilusão e a descrença.

Um beijo

3/15/2010  
Blogger nuvem said...

Lídia, muito obrigada pelas palavras. Beijos

3/16/2010  
Blogger Brain said...

Hum...

"Gastas as horas, o que nos resta?"

O repente de um momento
Que nos sugue o pensamento?
O esgar dos lábios
onde o sorriso já não há?
A opção pelo que agora é
em detrimento do "que será?"?

Gastas as horas,
O que nos restará?

Todos os minutos.
Com todos os seus segundos.
Naquilo efectivamente que te sou!
E NUNCA por um "que será(ia)?".

Devaneio meu,
Junto com um igual beijo.
(meu, claro, não devaneio :)

3/16/2010  
Blogger pin gente said...

temos que rasgar sorrisos novamente.

um beijo

3/16/2010  
Blogger nuvem said...

Brain, ainda bem que te inspiro devaneios destes, estes são dos bons! :) Beijinhos

pin, um beijinho para ti :)

3/16/2010  
Blogger Nelson Soares said...

Incrível...


Stay Well

3/21/2010  
Blogger nuvem said...

Nelson, obrigada. Beijos

3/21/2010  

Enviar um comentário

<< Home