terça-feira, 27 de abril de 2010

As mãos do tempo


Na brisa que se demora,
sinto os mãos do tempo,
secando, ásperas, as lágrimas
que as últimas chuvas

me deixaram no rosto.


Fotografia de Ana Rita Rodrigues, "O Tempo passa, o Amor não".

5 Comments:

Blogger António said...

Não há palavras para descrever o que senti! A beleza do teu texto é inexcedível.

Beijinhos
António

4/27/2010  
Blogger nuvem said...

Caro António, muito obrigada... As palavras, perdi-as agora, ao receber tamanho elogio. Beijos

4/27/2010  
Blogger pin gente said...

muito bonito!
beijo

4/27/2010  
Blogger Melga do Porto said...

As mãos do tempo…
Depois desta frase, só mesmo “reticências” poderia eu colocar.
Ele tudo clarifica, por muito que o não desejemos.
Umas vezes soalheira, outras chuvosa.
Umas vezes leve brisa, outras ventania.
Umas vezes manso, outras rebelde.
Umas vezes desejo, outras castigo.
Assim são “as mãos do tempo…”
Que julgamos nosso… mas não é!
:-)

5/04/2010  
Blogger nuvem said...

pin gente, obrigada :) Beijinhos

Melga do Porto, sempre bom ler as tuas palavras por aqui...

5/16/2010  

Enviar um comentário

<< Home