quinta-feira, 22 de abril de 2010

O meu dia

Hoje o dia é meu,
e a verdade é que não o quero.
Não sei o que fazer com um dia meu.
Afinal para que serve ter um dia?
Não posso desembrulhá-lo,
usá-lo como adorno,
pendurá-lo na parede do quarto,
nem mesmo guardá-lo numa gaveta,
junto aos poemas que mais gosto.

Hoje o dia é meu,
e a verdade é que estou triste.
Não sei o que dizer num dia meu,
nem para que servem as palavras
quando não dizem amor.

Daqui a pouco será noite, e depois
outro dia, que não será meu, virá.

Pergunto-me se haverá um espaço, por
entre os dias, que não seja de ninguém.
E onde não caibam palavras. Só silêncio.
Talvez seja lá que tudo ganha sentido.

8 Comments:

Blogger Passion Note said...

É no mundo dos sonhos, das nuvens, que tudo é teu. E não é só hoje que os dias são teus. São teus todos os dias que vives e que não deixas que ninguém viva por ti. Mesmo quando são coisas menos boas.

Mas hoje, acho que o dia te vai reservar umas velinhas e bolo! ;)

E já sabes, se não o comeres, ninguém os papará por ti :) Feliz Aniversário e muitos números nas costas. Beijinhos*

4/22/2010  
Blogger pin gente said...

amanhã pergunto!

beijos

4/22/2010  
Blogger Moon said...

Muitos beijinhos.

4/22/2010  
Blogger Moon said...

O dia é mesmo teu? Rodeado de amor, carinho e muitos parabéns?

Temos, então, um poema especial?

:)
Parabéns!!!!!!!!!!

4/22/2010  
Blogger Putty Cat said...

Núvem, Núvem, Núvem

Eu bem digo que dois açoites te ficavam bem.. a oferta mantém-se. :D

Mas para já, deixo-te com as palavras do mestre:

"Se depois de eu morrer, quiserem escrever a minha biografia,
Não há nada mais simples
Tem só duas datas — a da minha nascença e a da minha morte.
Entre uma e outra cousa todos os dias são meus. "


Tá?

4/23/2010  
Blogger Brain said...

Eu diria:

Hoje o dia é teu,
Daqui a pouco será noite, e depois
outro dia, que também será teu, virá.

Hoje o dia é teu,
E todos os outros, também!

Eu diria.

Beijo (Meu)

4/23/2010  
Blogger joaquim said...

Entre as gotas de chuva, há aquelas que não molham toda a gente. Só os abençoados ou aqueles que são diferentes. Nos espaços dos dias, impõe-se o mistério!

4/26/2010  
Blogger nuvem said...

Passion Note, que bonitas palavras me deixaste. Também, de uma pessoa bonita só podiam sair palavras assim... :) Beijinhos e obrigada

pin gente, e acabaste por não perguntar nada... :) Beijos

Moon, sim, foi mesmo o meu dia. Beijinhos e obrigada :)

Putty, pois quem sou eu para me comparar ao mestre ou sequer questionar a sua sabedoria... :) Obrigada e um beijo grande para ti!

Brain, beijinhos e obrigada pelas palavras. Disseste e muito bem. Podes dizer mais :)

Joaquim, diz José Luís Peixoto, que eu muito admiro, que os poetas "(...)quando chove não se molham,/ passam entre as gotas de chuva. Não por serem/ mágicos, ou por serem magos, mas por serem parvos./ A falta de sentido prático dos poetas não tem graça."... eu acho que ele tem razão. No entanto, confesso que adorei a tua teoria. Fez-me sorrir. Obrigada. Beijos

4/26/2010  

Enviar um comentário

<< Home