quinta-feira, 1 de abril de 2010

Um dia

Amo-te. Tenho saudades de o dizer em voz alta. Saudades da vibração que provoca na minha voz. No meu coração. Há tanto tempo... Talvez até tenha esquecido o som que faz essa palavra, quando toca as paredes de um quarto, ao anoitecer. Quando se faz canção de embalar. Um dia guardo os poemas numa gaveta e digo-to ao ouvido: Amo-te. Em sussurro, para que não me oiças. Para que não me vejas sequer. Para que não tenhas tempo de te despedir de mim.

6 Comments:

Blogger Maria said...

Atrevo-me hoje. A dizer que te amo, mais uma vez. Porque de nada me arrependo a não ser de não te ter amado mais...

As tuas palavras perturbam-me, por vezes. Já te tinha dito...

:)

4/01/2010  
Blogger pin gente said...

porque não dizê-lo em sussurro para que oiça? amo-te! é tão bom ouvi-lo... fazê-lo ouvir.

um beijo
luísa

4/02/2010  
Blogger nuvem said...

Maria, quando as palavras não nos perturbam, não são poesia... :) Beijos e obrigada.

pin gente, acredito que há um tempo e um espaço para tudo na vida. Para as palavras também. Beijinhos

4/04/2010  
Blogger Brain said...

Um dia,

Desafio-te "a sério" a escreveres um livro em prosa.

Um dia.

(que pode ser até já amanhã... ou hoje... não sei)

Beijo Meu

4/06/2010  
Blogger nuvem said...

Brain, tu e os teus desafios... :) Beijinhos, gosto de te ver por aqui.

4/06/2010  
Blogger José Rui Fernandes said...

Apetecia-me acrescentar estas palavras ao que disse AQUI!

4/09/2010  

Enviar um comentário

<< Home