domingo, 27 de junho de 2010

Em delírio

Por vezes, o canto das aves, ao longe,
parece-me apenas um choro de despedida.
Adoece-me o peito.

E as palavras, não são mais do que uma febre,
em delírio por entre os versos.

5 Comments:

Blogger Lorenzo Monsanto said...

Delírio é vergonha. Tu sabes, não sabes, Nuvem?

6/27/2010  
Blogger Camarim 9 said...

Palavras pra quê?..Gosto muito :-)

6/27/2010  
Blogger Putty Cat said...

Certeiro. Ora toma lá, putty, mais um para tu invejares!!!!

6/27/2010  
Blogger pin gente said...

choram sem lágrimas, rasando águas alisadas pelo normo hálito da brisa. chegam e ficam, não poisando o vazio.
sobre o rio, cai uma pena que flutua enquanto não perder o ar,
um leve óleo que na transparência escreve o tempo. uma linha de vida para o nosso amor não se afogar.


(delírio?)
um abraço

6/29/2010  
Blogger nuvem said...

Beijos, amigos. Obrigada pelas palavras.

7/04/2010  

Enviar um comentário

<< Home