quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Há muito tempo


















Há muito tempo que a noite não me faz poema,

há muito tempo que não sei de mim,
nem dos versos que fui um dia.
Sei da escuridão, do silêncio,
do vazio em forma de abraço que me aperta,
que me corta a respiração. Sei. Sei da tristeza,
mas da poesia, não.


Imagem, "Noite estrelada" de Van Gogh

5 Comments:

Blogger Maria said...

Acabei de a ler e tu nem deste por isso...
Há dias em que nos faltam as palavras. Não a ti...

Beijo.

9/09/2010  
Blogger CLÁUDIA said...

Tu não sabes dela, mas ela, sem dúvida, continua a saber de ti.
Como aqui se vê. :)

Um beijinho grande para ti Nuvem. ***

9/09/2010  
Blogger Melga do Porto said...

conheci noites repletas de poemas…
poemas que hoje são sonhos…
não mais mos escreveram…
sei da tristeza...
de quanta falta me fazem!

9/13/2010  
Blogger nuvem said...

Maria, obrigada... sempre doces, as tuas palavras. Beijos

Cláudia, um beijo e obrigada :)

Melga do Porto, outras noites virão... outros sonhos, outros poemas. Beijos

9/16/2010  
Blogger Angel in the dark said...

Há um tempos em que nos perdemos, quando o tempo se faz noite esperando por nós.
Gostei do blog!

9/25/2010  

Enviar um comentário

<< Home