quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Solidão










Talvez. Se o dia se fizer mais longo que a vida,
e dos passos apenas restarem marcas no chão.
E sentado perante um mundo que não me conhece,
que me trata pelo nome sem saber quem sou,
que me arrancou o amor do peito sem qualquer razão.
Sim, talvez hoje o meu silêncio possa ser poema e solidão.

Fotografia de Rui Matos, "Solitude".

4 Comments:

Anonymous Rui Matos said...

Um Poema. Uma imagem.
Não que uma precise da outra, mas ambas se fundem num sentimento só. Obrigado.

11/16/2011  
Blogger ruth ministro said...

Obrigada, eu, pela inspiração que me trouxe esta belíssima foto...

11/16/2011  
Blogger Maria said...

Andam de mãos dadas, o poema e a solidão. Às vezes o amor mete-se entre os dois...

Beijinho.

11/17/2011  
Blogger ruth ministro said...

Maria, gostei tanto do que escreveste...

Um beijo grande.

11/18/2011  

Publicar um comentário

<< Home