sábado, 31 de dezembro de 2011

Poema de fim de ano

O último poema surge-me
como água fresca no deserto.
Sei que há dentro de mim
um oásis de sonhos, só
à espera de ser descoberto.