terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Destino

Quase não sei onde estou,
nem tão pouco sei permanecer
onde nem sequer sei se cheguei.
Talvez ande perdida sem saber,
talvez nem saiba por onde andei,
talvez não me caiba decidir,
os passos são meus, mas o destino,
esse ainda está por descobrir.

Procuro por mim, dia após dia,
o peito exausto pede-me paz,
só quero encontrar amor e poesia
e quase não sei se sou capaz.

2 Comments:

Blogger Maria said...

Acredito que seja um estado passageiro. Acredito que encontrarás sempre o caminho que deves percorrer. Porque será esse o teu destino: e aqui a poesia faz parte dele, assim como o amor. Precisas de tudo isto para existir...

Beijinho.

1/11/2012  
Blogger ruth ministro said...

Tudo na vida é passageiro. A própria vida é passageira. É por isso que escrevo poemas, para que alguma coisa permaneça muito além de mim :)

Beijinhos, Maria.

1/11/2012  

Publicar um comentário

<< Home