segunda-feira, 18 de junho de 2012

(...)

Eu que sei de cor os mapas desenhados no teu corpo,
que conheço cada rio, cada montanha, cada planície,
que fui até ao fundo mais profundo dos teus mares,
não sabia, porém, que há um caminho sem saída
dentro dos teus olhos. Um caminho sem retorno.

Eu que ousei querer-te inteiro,
cada lugar, cada contorno.

4 Comments:

Blogger maria joao moreira said...

mas só assim faz sentido... querer alguém e ser de alguém por inteiro! mesmo que apenas por breves instantes... muito bonitas, as tuas palavras.

6/18/2012  
Blogger ruth ministro said...

Muito obrigada pelas palavras deixadas, Maria João. Um beijinho.

6/18/2012  
Blogger Marina Jacobini said...

Sempre que leio seus textos tenho uma estranha sensação de intimidade. como seu forrem tão meus quanto seus. Isso é algo raro! parabéns! =)

6/22/2012  
Blogger ruth ministro said...

Marina Jacobini, agradeço muito o elogio. Beijos.

6/22/2012  

Enviar um comentário

<< Home