terça-feira, 3 de julho de 2012

Pergunta-me

Pergunta-me o sol ou o mar ou as searas douradas,
pergunta-me a noite, a lua ou as claras madrugadas,
podes até perguntar-me o mundo, as paisagens,
os refúgios das andorinhas nas suas longas viagens,
posso responder-te a tudo, meu amor,
mas não me perguntes porque morrem todas as coisas
e tu pulsas sempre e mais no meu coração, com fervor,
és inexplicável vida, explodindo em mim com a força 
da mais pura alegria, da mais profunda dor.

2 Comments:

Blogger Nilson Barcelli said...

Já há séculos que não te lia, mas vejo que estás a escrever melhor que nunca.
Beijo.

7/19/2012  
Blogger ruth ministro said...

Muito obrigada, Nilson. Ainda bem que não esqueceste a morada desta nuvem. Beijos

7/24/2012  

Publicar um comentário

<< Home