terça-feira, 1 de abril de 2014

Dia das Mentiras

Não consigo perceber a utilidade do Dia das Mentiras. Mentira, consigo. Serve para dizer coisas más com a desculpa de que é a brincar. Mentira, não são más, são só mentiras. Mentira, não há mentiras boas, até porque mentir é feio, excepto neste dia. Neste dia é bonito. Mentira, não é bonito nem tem piada nenhuma. Quem? Eu, a rir? Mentira, eu não brinco com coisas sérias. Não, nem do Dia das Mentiras. Porquê? Porque tenho mais que fazer. Mentira, se tivesse não estava a escrever este texto totalmente desnecessário e tolo. Mentira, eu às vezes gosto de escrever coisas desnecessárias e tolas, mesmo quando tenho muito que fazer. Por isso é que escrevo poemas. Mentira, escrevo poemas porque não sei mentir.  

1 Comments:

Blogger Melga do Porto said...

A utilidade do dia está como em tantos outros dias de tantos outros entes, a inutilidade.
E hoje, infelizmente, vive e sobrevive o inútil...

4/02/2014  

Publicar um comentário

<< Home