segunda-feira, 16 de março de 2015

À tua porta

Os ponteiros do relógio marcam as dez horas
dez passos para chegar à tua porta
dez andares de sonhos acesos nas janelas
rostos sem nome cruzam o meu e
para sempre desaparecem
coisas que não vejo acontecem ao longe
ou talvez dentro de mim
o mundo amanhece num outro lugar que
não à tua porta onde a noite marca as dez horas
dez passos que dei e não ouviste
dez andares de sonhos que não ouso subir.

1 Comments:

Blogger Francis said...

Very nice :)

3/16/2015  

Publicar um comentário

<< Home